Logo paivense
Logo paivense

Acionistas da EDP aprovam distribuição de 694,7 milhões em dividendos

Tiago Petinga / Lusa

Os acionistas da EDP aprovaram, esta quinta-feira, a proposta do Conselho de Administração de distribuição de 694,74 milhões de euros em dividendos relativos a 2019.

A proposta de aplicação dos resultados, incluindo um dividendo de 19 cêntimos por ação, era o segundo ponto da assembleia-geral de acionistas, que este ano decorreu através de meios telemáticos, devido às restrições provocadas pela pandemia de covid-19.

De acordo com comunicado divulgado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os dividendos estarão a pagamento a partir de 14 de maio.

A reunião magna de acionista da EDP tinha oito pontos na ordem de trabalhos, destacando-se a deliberação sobre contas de 2019 (lucros consolidados de 512 milhões de euros, menos 1% do que em 2018), a proposta de aplicação de resultados (incluindo dividendo de 19 cêntimos por ação), poderes para o Conselho de Administração aumentar o capital social até ao limite de 10% do capital social atual e política de remuneração dos administradores e restantes membros dos órgãos sociais.

De acordo com o presidente executivo, António Mexia, numa conferência de imprensa também digital, a proposta foi aprovada por mais de 99% dos acionistas.

Sobre este tema controverso, o presidente do conselho geral e de supervisão, Luís Amado, defendeu que “seria incompreensível” que uma empresa que estivesse bem “não contribuísse de maneira normal quando muitas não o podem fazer”, cita o jornal online Observador.

Ainda ontem, a líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, defendeu que não era “aceitável” que a assembleia-geral da EDP se preparasse para distribuir dividendos “que pagavam dez anos de tarifa social“, quando o alargamento da medida foi chumbado, na semana passada, no Parlamento.

Fonte: ZAP