Início Agricultura Castelo de Paiva: Vespa asiática causa perda de 20% das uvas de...

Castelo de Paiva: Vespa asiática causa perda de 20% das uvas de quinta em Ancia

COMPARTILHAR
Vespa Asiática causa prejuízo em Ancia

Os transtornos devido a presença de vespa asiática em Portugal continental já ocasionaram mais de 508 denúncias de cidadãos durante este ano à GNR. As denúncias procedem maioritariamente no distrito do Porto (133), seguidos por Braga (92), Viseu (60), Aveiro (53) e Coimbra (50).

Em Castelo de Paiva, distrito de Aveiro, a presença da vespa asiática tem causado prejuízos aos produtores de uvas locais. Na freguesia de Real, em Ancia, as perdas estão a ser contabilizados e trazem grande preocupação por aproximar-se a altura das vindimas.

Quinta em Ancia contabiliza perdas

Uma das quintas já contabilizou perdas correspondentes a 20% de toda a produção de uvas que era esperada para o ano: “Vou ter de antecipar as vindimas, ou perderei toda a colheita de uvas este ano. Se algo está a ser feito para combater essas vespas em Castelo de Paiva, em Ancia não é. Nós produtores de Ancia pedimos para também sermos lembrados pela administração do concelho”, afirmou o proprietário da quinta, Fabiano de Abreu.

Fabiano avalia o prejuízo causado na plantação pelas vespas asiáticas

Não apenas no norte do país estão a ser registadas ocorrências. Até mesmo em Lisboa, a presença da vespa asiática chegou a encerrar os jardins da Quinta das Conchas e Quinta dos Lilases, na freguesia do Lumiar, depois de sido descoberto um ninho de vespas asiáticas na quinta-feira, anunciou a autarquia.

Por que é que a vespa-asiática é um problema?

Designada cientificamente por vespa velutina, a vespa asiática foi pela primeira vez avistada em Portugal em 2011, no distrito de Viana do Castelo, e, “desde aí, tem vindo a deslocar-se para o sul do país, sendo que Lisboa, até agora, é o distrito mais a sul onde existe a presença da vespa velutina”

Segundo o responsável do SEPNA, a vespa asiática adapta-se aos espaços que lhe são oferecidos para polinizar e, também, para nidificar, pelo que “não há uma distinção entre espaços rurais e espaços urbanos” na distribuição e expansão desta praga em território nacional. No entanto, a vespa asiática escolhe, preferencialmente, locais com menos perturbação, o que explica os espaços rurais como os que existem em Castelo de Paiva e boa parte do interior norte serem mais atractivos para a sua instalação.

Vespa asiática

Como denunciar?

Através da linha SOS Ambiente e Território, a GNR vai registando o número de denúncias, “que muitas vezes são coincidentes com avistamentos”, referiu Ricardo Vaz Alves, advertindo que tal não significa que a presença da vespa asiática seja confirmada, “mas, de qualquer forma, há um registo ou, pelo menos, é uma noção que o cidadão tem que existe a presença de vespas velutinas”.

Em 2018, foi implementado o plano de acção para a vigilância e controlo da vespa velutina em Portugal, que visa a prevenção, vigilância e controlo desses animais em todo o território nacional, com vista à segurança dos cidadãos, à protecção da actividade agrícola e do efectivo apícola, bem como à minimização dos impactos sobre a biodiversidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

15 + three =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.