Logo paivense
Logo paivense

Apenas 13% dos oceanos não foram alterados pelo ser humano

Os oceanos cobrem aproximadamente 70% de toda a superfície da Terra e parece que nada desta expansão marinha está fora do alcance do ser humano – apenas 13% dos mares permanecem inalterados. 

Em todo o mundo, só 13,2% dos mares – cerca de 54 milhões de quilómetros quadrados – estão num estado verdadeiramente selvagem, não tendo sido alterados pelo Humano, aponta um novo estudo publicado esta quinta-feira na Current Biology.

Em termos de comparação, a Ásia cobre uma área total de 44,5 milhões de quilómetros

“Quase toda a área ainda selvagem está localizada no Ártico, na Antártida ou nas ilhas remotas do Pacífico”, disse Kendall Jones, co-autor do estudo e especialista em planeamento da Wildlife Conservation Society à Live Science.

Acrescentando que “nas regiões costeiras, onde a atividade humana é mais intensa, quase não há mais nenhuma área selvagem”.

“Descobrimos também que quase toda a natureza selvagem está desprotegida, deixando-a assim vulnerável para a ser perdida na totalidade a qualquer momento, já que as melhorias nas tecnologias de pesca e navegação nos permitem chegar e pescar mais fundo nos oceanos”, explicou.

Talvez tão perturbador quanto estes dados, adiantou Jones, é que: apenas 4,9% da natureza marinha selvagem está localizada em áreas protegidas, nas quais a lei restringe as atividades humanas.

Para o estudo, os investigadores consideraram como natureza selvagem as áreas “livres da intensa atividade humana”. Foram compilados dados sobre os níveis de várias atividades humanas nos mares e, em seguida, os cientistas identificaram as áreas de menor atividade humana.

Os investigadores atribuíram a cada quilómetro quadrado do oceano um valor que avalia o quão afetado o espaço foi por um dos 15 fatores causados pelo Homem, tais como pesca, transporte comercial, escoamento de nutrientes e pesticidas e ainda fatores relacionados com as alterações climáticas – acidificarão dos oceanos e aumento do nível das águas do mar.

“Os nossos resultados demonstram que não há quase nenhum lugar no oceano onde as pessoas não estejam interessadas em usar para algum propósito”, acrescentou Jones.

Então, o que nos reserva o futuro? Isso depende de como agirmos, explicou o especialista.  “É crucial proteger as áreas selvagens marinhas se quisermos proteger toda a biodiversidade marinha para o futuro”, concluiu.