Logo paivense
Logo paivense

Assunção Cristas pede desculpa a Isabel Moreira

Mário Cruz / Lusa

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas

“Repudio em absoluto qualquer comentário de ódio.” Foi assim que reagiu Assunção Cristas, líder do CDS-PP, à mensagem homofóbica que um membro do seu partido terá enviado à deputada socialista Isabel Moreira.

Assunção Cristas, líder do CDS-PP, pediu desculpa à deputada socialista Isabel Moreira na sequência de insultos de teor homofóbico dirigidos por Armindo Leite, membro da comissão política da concelhia democrata-cristã de Barcelos.

Repudio em absoluto qualquer comentário de ódio. O CDS pauta-se pelo respeito de todas as pessoas e de todos os pontos de vista e condena comentários deste teor. Apesar de só vincular o próprio, não posso deixar de lamentar profundamente o sucedido e pedir desculpa à Isabel Moreira“, escreveu Cristas no Twitter.

Esta sexta-feira, Isabel Moreira denunciou o ataque na sua página do Facebook, publicando uma captura de ecrã de uma mensagem enviada por Armindo Leite. “És uma vergonha, f… de m…, mata-te”, lia-se na mensagem do membro da comissão política da concelhia democrata-cristã de Barcelos.

Tenciono continuar por aqui, Armindo sexista, homofóbico, criminoso e cobarde. Há mais como vossa excelência. E há mais, mas muito mais como eu. Toda uma multidão do lado da liberdade e da igualdade”, respondeu Isabel Moreira, desafiando a direcção do CDS-PP a reagir ao incidente “intolerável”.

Depois do pedido de desculpas de Assunção Cristas, Isabel Moreira regressou ao Facebook para agradecer a “reação decente” da líder do partido.

“Repudiar o ódio é um imperativo democrático. A nossa democracia está sempre em construção e todas as pessoas e instituições têm responsabilidades nesse processo. Espero que este episódio permita um debate no próprio CDS sobre o que temos que fazer para erradicar a homofobia e o ódio com base nos vários preconceitos que nos limitam enquanto sociedade. Liderança é saber repudiar o ódio e continuar a trabalhar para o recusar na democracia que é de todas e de todos nós”, escreveu.

Ao jornal Sol, Armindo Leite negou que tivesse escrito qualquer insulto, afirmando que a mensagem homofóbica poderá ter sido enviada através de um perfil falso. “Não tenho conhecimento de nada. Não faço a mínima ideia. Eu não fiz nada. Palavra de honra!”

Fonte: ZAP