Logo paivense
Logo paivense

Bombas de combustível de Castelo de Paiva não serão abrangidas pelos serviços mínimos garantidos pelo Governo

A corrida às bombas de gasolina em Castelo de Paiva tem um motivo: na greve que começa a 12 de Agosto, nenhuma das 374 bombas de combustível que estarão abrangidas pelos serviços mínimos garantidos pelo Governo situa-se em Castelo de Paiva.

A solução para as empresas, os cidadãos, as entidades Paivenses será ir a Cinfães ou Arouca, entre outros concelhos vizinhos, para abastecer em caso de rotura nos postos em Castelo de Paiva. A situação tem causado indignação em alguns habitantes do concelho, que tem se manifestado através das redes sociais, com a hashtag #ospaivensesmerecemrespeito

O Governo decretou o estado de emergência energética e divulgou esta quarta-feira a lista das 374 bombas de combustíveis que integram a rede estratégica de postos de abastecimento (REPA) em que o serviço estará assegurado a 100%, caso se concretize a greve dos motoristas de matérias perigosas cujo início está marcado para 12 de Agosto e que poderá prolongar-se por tempo indeterminado. Dos 374 postos, 54 estarão reservados a veículos prioritários como ambulâncias, carros dos bombeiros ou carrinhas de transporte de valores. Os restantes estão abertos à população geral. O abastecimento estará limitado a 15 litros de combustível por viatura.

Consulte a lista completa dos postos da rede estratégica no site da Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis.

Últimas Notícias 

Redes social da paivense