Arqueólogos descobriram a sepultura com 3300 anos de um general chamado Iwrhya no antigo sítio egípcio de Saqqara.

As incrições de hieróglifos nas paredes da sepultura diziam que Iwrhya era “um alto General, um Alto mordomo do domínio de Amon e um Alto mordomo das propriedades de Ramesses II no domínio de Amon”, anunciou o ministério das Antiguidades egípcio.

Amon era um importante deus egípcio naquela altura, muitas vezes referido como o rei dos deuses.

A carreira do General começou durante o reino do faraó Seti I, que governou o Egipto entre 1294 a.C. e 1279 a.C. e continuou durante o reino do faraó Ramesses II, que durou desde 1279 a.C. até 1213 a.C., lia-se nas inscrições da tumba.

A sepultura contém vários quartos, uma capela, um pátio de entrada e uma divisão que os escavadores chamaram o quarto da estátua.

A arte encontrada na sala da estátua retrata as ações militares e as relações estrangeiras com os países fronteiriços, de acordo com o comunicado do Ministério das Antiguidades.

As cenas retratadas incluem “barcos que derrubavam as cargas de jarros de vinho cananeu”. O povo cananeu viveu em Israel e Palestina dos dias modernos e foram, por vezes, governados pelo Egipto.

Além disso, um “bloco descoberto na areia que provavelmente se soltou da parede do lado norte da sepultura mostra uma cena excecional de uma unidade de infantaria e cocheiros a cruzar uma via navegável com crocodilos”. A análise a essa cena sugere que a cruzada teve lugar algures na fronteira este do Egipto.

As escavações continuam e ainda não foram encontrados restos humanos na sepultura. É possível que o espaço tenha sido usado para enterrar vários membros da sua família, como o filho e o avô – ambos mencionados nas inscrições.

De acordo com o comunicado do Minstério das Antiguidades, é possível que Iwrhya tenha descendência estrangeira.

Uma equipa liderada por Ola El Aguizy, professor de Egiptologia na Universidade do Cairo, descobriu e escavou a sepultura entre 2017 e 2018. O espaço fica em Saqqara, a sul de uma pirâmide construída por um faraó chamado Unas, que reinou há mais de 4300 anos. Saqqara é rica em vestígios arqueológicos.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

three − 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.