(dr) Gabriel Hamer / Texas A&M University

Os insetos que “beijam” as pessoas durante a noite não são tão inofensivos quanto parecem. Estes sugadores se sangue, chamados triatomíneos, estão a espalhar a doença parasitária de Chagas pelo mundo inteiro.

A doença de Chagas, que não tem tratamento, causa sérias complicações cardíacas ou intestinais em cerca de 30% dos doentes. Estas complicações podem, inclusivamente, levar à insuficiência cardíaca e, até, morte súbita.

Como a maior parte dos pacientes não mostram qualquer indício de infeção, os cientistas descreveram a doença de Chagas como um “assassino silencioso“.

Comum na América Central e do Sul, esta doença parasitária está agora a espalhar-se pelo mundo, tornando-se comum nos Estados Unidos, Canadá, Europa, Austrália e Japão, segundo uma declaração da American Heart Association (AHA) e da Sociedade Interamericana de Cardiologia.

A doença, que está agora a ser espalhada pelos triatomíneos, insetos que mordem as pessoas durante a noite, merece especial atenção da comunidade médica, que deve tornar-se mais consciente da existência desta doença de modo a reconhecê-la, tratá-la e controlá-la.

Durante a noite, certas espécies de insetos triatomíneos rastejam em pessoas, cães e outros mamíferos para se alimentarem e, normalmente, mordem o rosto das suas “vítimas”, especialmente perto dos olhos ou da boca. Das mais de 100 espécies de triatomíneos, cerca de 12 são considerados importantes transmissores de Trypanosoma cruzi, o parasita causador da doença de  Chagas.

Depois de se alimentarem, estes parasitas defecam, e as suas fezes podem conter o parasita. O perigo encontra-se aí mesmo e na possibilidade de as fezes ficarem sob a ferida da mordida ou nas membranas mucosas do olho ou da boca, aumentando a possibilidade de as pessoas ficarem infetadas.

Apesar de alguns infetados ficarem com as pálpebras inchadas, a verdade é que a maioria das pessoas não apresenta qualquer sinal de infeção.

Segundo o ScienceAlert, numa fase inicial, algumas pessoas experimentam sintomas bastante comuns como febre, fadiga, dores no corpo e erupções cutâneas. Os médicos conseguem diagnosticar esta doença através de análises ao sangue e tratá-la com medicamentos antiparasitários.

No entanto, se não forem devidamente tratados, os doentes podem desenvolver a forma crónica da doença, que pode levar a maiores complicações no futuro, incluindo acidente vascular cerebral (AVC) ou insuficiência cardíaca.

Nos Estados Unidos há, pelo menos, 11 espécies de triatomíneos. A doença de Chagas está a espalhar-se cada vez mais graças à migração, que fez com que outras formas de transmissão se tornassem mais comuns. A doença pode também ser transmitida através de transfusões de sangue ou doações de órgãos.

Os autores alertam que estes tipos de transmissão “são um problema global e podem ocorrer onde quer que os indivíduos infetados residam”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

7 − four =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.