Início Ciência A luz azul reduz a pressão arterial (e é tão eficaz quanto...

A luz azul reduz a pressão arterial (e é tão eficaz quanto a medicação)

COMPARTILHAR

Um novo estudo da Universidade de Surrey, no Reino Unido, e da Universidade Heinrich Heine de Düsseldorf, na Alemanha, sugere que a exposição à luz azul é um tratamento não farmacológico eficaz para a hipertensão.

Cientistas da Universidade de Surrey, no Reino Unido, e da Universidade Heinrich Heine de Düsseldorf, na Alemanha,levaram a cabo uma experiência que mostrou que a luz azul foi tão efetiva na redução da pressão arterial quanto a própria medicação, o que, por sua vez, diminui o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

Os participantes do estudo foram expostos a 30 minutos de luz azul no corpo inteiro a, aproximadamente, 450 nanómetros (uma dose comparável à luz solar diária). Depois, num dia diferente, os mesmos participantes foram expostos a uma luz de controlo. A luz azul visível, ao contrário da luz ultravioleta (UV), não é carcinógena.

Para avaliar o impacto do tratamento, a pressão arterial, a rigidez das artérias, a dilatação dos vasos sanguíneos e os níveis de armazenamento de óxido nítrico no plasma sanguíneo dos participantes foram medidos antes, durante e duas horas após a irradiação com as duas luzes.

Perante os resultados, os cientistas descobriram que a exposição à luz azul reduziu significativamente a pressão arterial sistólica dos participantes em quase 8 mmHg, enquanto a luz de controlo não teve qualquer impacto.

Ainda assim, o mais surpreendente é que essa redução é semelhante à observada em ensaios clínicos com medicamentos. O artigo científico foi publicado no Journal of Preventative Cardiology.

Além dos efeitos de diminuição da pressão arterial, a exposição à luz azul melhorou outros marcadores de risco cardiovascular, como a redução da rigidez arterial e aumento do relaxamento dos vasos sanguíneos. Os cientistas também descobriram que a exposição à luz azul aumentou os níveis de óxido nítrico, uma importante molécula de sinalização que protege o sistema cardiovascular.

Os investigadores suspeitam de que a luz azul liberta óxido nítrico da pele para a corrente sanguínea, relaxando os vasos sanguíneos, aumentando o fluxo sanguíneo e diminuindo a pressão sanguínea.

“A exposição à luz azul fornece um método inovador para controlar com precisão a pressão arterial sem medicação. Isto seria particularmente útil para aqueles cuja pressão sanguínea não é facilmente controlada por medicação, como os idosos”, afirmou Christian Heiss, professor de medicina cardiovascular da Universidade de Surrey.

Esta não é, porém, a primeira vez que os cientistas concluem que a luz azul tem um impacto positivo na saúde das pessoas. A iluminação azul já foi associada à melhoria do humor. Aliás, é por esse motivo que milhares de estações de comboios japonesas intalaram luz azul como forma de reduzir as taxas de suicídio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

four − four =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.