Início Ciência Ouvir esta música tem o mesmo efeito do que tomar um calmante

Ouvir esta música tem o mesmo efeito do que tomar um calmante

COMPARTILHAR

[embedded content]

Um estudo demonstrou que ouvir a “música mais relaxante do mundo” antes de uma operação tem o mesmo efeito que tomar um ansiolítico – drogas usadas para diminuir a ansiedade e a tensão, com um efeito calmante.

Os pacientes submetidos à investigação na Universidade da Pensilvânia dividiram-se em dois grupos. Enquanto recebiam anestesia para adormecer uma parte do corpo antes de uma cirurgia, uns tomaram midazolam – uma benzodiazepina usada como ansiolítico -, e os outros ouviram durante três minutos o tema musical “Weightless“, de Marconi Union.

O estudo, que foi publicado a semana passada na revista BMJ Journal, mostra que a música reduz a ansiedade em 65% e os níveis fisiológicos habituais em repouso em 53% – percentagens semelhantes aos obtidos após a toma de um ansiolítico. A música funcionou como um bom sedativo no estudo de 157 pessoas, embora os pacientes tenham dito que prefeririam escolher a sua própria música.

O grupo britânico escreveu o tema em 2012 especificamente para reduzir a ansiedade, a pressão arterial e o ritmo cardíaco. Para completar a missão de criar esta música com êxito, incorporaram várias teorias científicas e trabalharam com terapeutas durante o seu processo de gravação.

“Tem sido fascinante trabalhar com terapeutas para saber como e por que certos sons afetam o estado de ânimo das pessoas. Sempre acreditei no poder da música”, disse Richard Talbot, membro da banda, ao The Independent.

A música é tão eficaz que é até considerado perigoso ouvi-la enquanto se conduz. De acordo com Mindlab International, o grupo que realizou a investigação, o poder da melodia do grupo britânico é muito maior que todas as canções que experimentaram até hoje, e em 2016, foi considerada a música mais relaxante do mundo.

Em “Weightless”, aparecem melodias suaves criadas por sintetizador, assim como partes instrumentais compostas com piano, guitarra e mostras eletrónica de paisagens sonoras musicais.

Agora, os investigadores da Universidade da Pensilvânia querem verificar se o tipo de música e se a forma como é tocada faz diferença nos resultados dos pacientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

three × two =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.