Michael Roe / NC State University

Um spray feito à base de vidro vulcânico e água mostrou ser eficaz no controlo de mosquitos portadores de malária. A confirmar-se, este pode ser um passo importante na redução das populações de mosquitos transmissores de doenças e na redução da malária em África.

A alternativa atual passa por pulverizar regularmente inseticidas em superfícies como a rede mosquiteira que se usa à volta das camas, principalmente em regiões propensas à malária. Embora mate os mosquitos que lá pousam, os inseticidas são tóxicos para as próprias pessoas e para o meio ambiente.

Com esta nova solução desenvolvida por investigadores da North Carolina State University e da Liverpool School of Tropical Medicine, evitam-se estes problemas. O produto ficou conhecido como Imergard WP e está a ser produzida por uma empresa baseada na Califórnia, escreve o New Atlas.

A equipa de investigadores testou o novo spray em comparação com um inseticida usado comummente. A parede que foi pulverizada com o novo spary foi a que revelou uma maior taxa de mortalidade nos mosquitos. Ao fim de seis meses, a taxa continuava alta, embora tenha baixado para os 78%. Ainda assim, a taxa de mortalidade da parede pulverizada com o inseticida estava nos 25%.

Os especialistas explicam que o Imergard WP funciona matando os mosquitos por desidratação. Para além dos mosquitos não desenvolverem resistência, o novo spray tem um baixo custo de produção e não é tóxico para mamíferos. Os resultados do estudo foram publicados na revista científica Insects.

“O processamento da perlite como inseticida é novo”, diz David Stewart, coautor do artigo. “Este material não é uma bala de prata, mas uma nova ferramenta que pode ser considerada como parte de um programa de gestão de vetores de insetos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 − 7 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.