Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério.

Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente o nosso planeta, há 13 mil anos, foi causado por um impacto extraterrestre, como uma colisão de meteoros.

No entanto, cientistas das universidades norte-americanas de Houston, Baylor e Texas A&M descobriram que as evidências deixadas em camadas de sedimentos na caverna de Hall, no estado do Texas, eram resultado de erupções vulcânicas, avança o Europa Press.

Michael Waters, co-autor do artigo científico publicado no dia 31 de julho na Science Advances, explicou que esta caverna tem um registo de sedimentos que se estende por mais de 20 mil anos. “É um registo excecional que oferece uma oportunidade única de cooperação interdisciplinar para investigar uma série de questões importantes.”

A equipa de investigadores descobriu que, dentro da caverna, existem várias camadas de sedimentos, datados da época do impacto extraterrestre, que poderiam responder à misteriosa questão do arrefecimento repentino do planeta.

“Este trabalho mostra que a assinatura geoquímica associada ao evento de arrefecimento da Terra não é única, tendo ocorrido quatro vezes entre 9 mil e 15 mil anos atrás”, disse Alan Brandon, professor de geociências da Universidade de Houston e líder desta investigação.

O gatilho para este evento de arrefecimento não veio do Espaço. As evidências geoquímicas anteriores de um grande meteoro a explodir na atmosfera refletem um período de grandes erupções vulcânicas”, concluiu o cientista.

Depois de um vulcão entrar em erupção, a propagação global de aerossóis reflete a radiação solar recebida para longe da Terra e pode levar ao arrefecimento global durante um período de cinco anos, dependendo do tamanho e da escala de tempo da erupção.

O estudo indica que o episódio de arrefecimento, conhecido como Dryas recentes, foi causado por numerosos processos coincidentes baseados na Terra, e não por um impacto extraterrestre. “O Dryas recentes, que ocorreu há cerca de 13.000 anos, interrompeu o aquecimento característico da Terra no final da última era glacial”, disse Steven Forman, professor de geociências e co-autor do estudo.

O clima da Terra podia estar num ponto de inflexão durante o Dryas recentes, possivelmente devido à descarga de placas de gelo no Oceano Atlântico Norte, a uma melhor cobertura de neve e a poderosas erupções vulcânicas – fatores que podem ter resultado num intenso arrefecimento do hemisfério norte.

O período de arrefecimento durou, aproximadamente, 1.200 anos, tornando uma única erupção vulcânica um importante fator inicial. No entanto, os autores salvaguardam que foram necessárias outras mudanças no sistema terrestre, como o arrefecimento do oceano e a cobertura de neve, para manter este período mais frio.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

two × one =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.