O abastecimento de água do nosso planeta é um recurso incrivelmente valioso que precisamos proteger. Porém, novos números mostram que entre 30% e 50% dele está a ser roubado.

De acordo com o ScienceAlert, o roubo da água ocorre quando pessoas e empresas obtêm água ilegalmente – geralmente para fins agrícolas. Isso pode significar obter água tratada que deve ser paga gratuitamente ou obter água de formas que vão contra as diretrizes ambientais.

Um novo relatório que examinou este problema aponta o dedo às estruturas políticas, legais e institucionais que não estão devidamente configuradas para proteger a água da qual todos dependemos.

Segundo o estudo, as raízes do furto de água não estão a ser tratadas corretamente, o valor da água não está a ser apreciado e as ações ilegais não estão a ser devidamente punidas. Isto significa que uma grande quantidade de água perde-se com o roubo todos os anos.

“A contínua escassez de água ocorre em todos os continentes, cada vez mais agravada pelas mudanças climáticas”, escrevem os investigadores. “Ao abordar os prováveis ​​fatores de roubo em escala individual, podemos evitar danos irreversíveis a todos os utilizadores de água.”

Há algum debate sobre o que pode ser considerado roubo de água, uma vez que a água é um recurso natural ao qual todos temos acesso. No entanto, a equipa de investigadores analisou três estudos de caso separados que envolviam o uso impróprio de água: cultivo de marijuana na Califórnia, morangos em Espanha e algodão na Austrália.

Embora os casos variassem amplamente, desde normas sociais até regulamentações locais, destacavam alguns temas comuns. Todas as três atividades são intensivas em água e todos os três estudos de caso mostram os efeitos das demandas do mercado sobre o roubo de água – roubar água é muito lucrativo, na maioria das vezes, e, certamente, mais lucrativo do que seguir as regulamentações ambientais.

A incerteza sobre o abastecimento de água, causada tanto por ações humanas como por variações naturais nas chuvas, também é uma das principais causas do roubo de água.

A falta de policiamento também é um fator. Por outro lado, a monitorização eficaz e uma suposição generalizada de alta conformidade numa sociedade ajudam a reduzir o roubo de água.

Segundo a investigação, uma das grandes mudanças que podemos fazer é garantir que as penalidades por roubo de água sejam significativas e devidamente aplicadas, especialmente em áreas remotas e rurais. Expor publicamente o furto também pode ajudar em algumas situações. O reequilíbrio financeiro e social torna o roubo de água menos económico e menos aceite nas comunidades.

Detetar o roubo de água deverá ser mais fácil à medida que são desenvolvidos sistemas de monitorização e sensores mais avançado. Por enquanto, é necessário um esforço coordenado de Governos, reguladores e comunidades para pôr fim ao roubo de metade da água do mundo.

Este estudo foi publicado este mês na revista científica Nature Sustentability.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

15 − eleven =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.