Um grupo de investigadores que está a monitorizar pica-paus com etiquetas de radiofrequência fez uma descoberta surpreendente: estes pássaros estão em constante guerra uns com os outros.

De acordo com os dados obtidos pelos investigadores, os pássaros mantêm guerras que podem durar dias seguidos com batalhas que podem demorar até 10 horas, de forma a conseguirem definir o seu espaço territorial.

Em alguns casos, os pica-paus levam anos a construir uma “aliança de combate” com outros pássaros da mesma espécie, antes de invadirem uma árvore e colocarem bolotas nos buracos feitos com os seus bicos na casca dos carvalhos.

Embora os pica-paus normalmente se reproduzam recorrendo sempre ao mesmo parceiro, alguns estudos mostraram que os pássaros também o fazem com múltiplos parceiros. Estes núcleos de reprodução são geralmente compostos por três machos e duas fêmeas e são conhecidos como alianças – relata a Sky News.

De acordo com o estudo publicado a 7 de setembro na revista Science Direct, essas alianças são a causa das batalhas entre as pequenas aves.

Sahas Barve, autor principal do estudo, explica que “quando alguém se aproxima de uma  árvore que é disputada é provável que ouça muitos pica-paus a chamar, à sua maneira, outros pássaros que respondem ao alerta voando como loucos”.

Normalmente, essas guerras entre os pássaros começam quando os pica-paus que habitavam num território de melhor qualidade morrem, e os seus rivais tentam invadir o local que ficou vazio.

Barve explica que “perto das árvores pode-se ver que há muitas alianças de três ou quatro pássaros que lutam para se posicionar nos galhos. Um grupo tem que vencer a batalha para adquirir um lugar no território e construir o seu espaço, o que muito raro em animais”.

Observar estas batalhas diretamente pode ser um desafio quase impossível, por isso Barve e a sua equipa optaram por outro método de análise. Os investigadores usam uma nova tecnologia de telemetria de RFID para identificar a localização das aves, através do uso de etiquetas que prendem nas costas dos pica-paus.

Assim a equipa monitoriza todos os movimentos dos pica-paus e percebe quanto tempo foi gasto a lutar, bem como de onde os “combatentes” provinham.

Algumas aves voltam todos os dias e lutam durante dez horas seguidas. “Nunca pensamos que poderiam demorar tanto tempo porque as aves têm que estar longe do seu território para conseguirem lutar”, disse Barve, que questiona “quando é que comem?”. Os investigadores ainda não sabem responder.

O investigador percebeu que “as aves muitas vezes esperam anos e, quando chega o momento certo, já têm a aliança ideal com outros pássaros. Nessa altura vão lutam para conquistar um território bom”.

Segundo os cientistas os pica-paus estabelecem ligações sociais muito estreitas. “Provavelmente têm muitos inimigos”, acrescentou Barve.

O próximo passo dos investigadores é tentar entender como é que as redes de relações dos animais são moldadas, e como é que variam ao longo do ano.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

twenty − three =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.