cgranycome / Flickr

O pássaro Aethopyga temminckii

Um novo estudo descobriu que os pássaros canoros que vivem nas florestas tropicais reduzem a sua reprodução para poderem sobreviver às secas.

De acordo com os investigadores, citados pelo site Science Alert, as secas – que se deverão tornar cada vez mais frequentes devido às alterações climáticas – confrontam os pássaros com um dilema entre a reprodução e a sua própria sobrevivência.

Mas o estudo, publicado, a 24 de agosto, na revista científica Nature Climate Change, descobriu que, em vez de tentar cuidar das crias em condições ambientais adversas, a maioria das espécies de pássaros canoros estudada optou por reduzir a sua reprodução durante a seca.

A investigação usou dados de 38 espécies da Venezuela e da Malásia, recolhidos durante 17 anos de trabalho de campo, incluindo um período de seca em cada país. A equipa descobriu que a reprodução foi reduzida, em média, 36% nas 20 espécies da Malásia e 52% nas 18 espécies da Venezuela.

Pássaros com um tempo de vida mais longo registaram a maior desaceleração na reprodução durante os períodos de seca. “Em geral, as espécies que diminuíram consideravelmente a reprodução durante a seca (ou seja, espécies de vida mais longa) tiveram maior sobrevivência adulta”, disse o co-autor do estudo, James Mouton, da Universidade de Montana, nos Estados Unidos, à agência France-Presse.

“Esta descoberta foi surpreendente, pois esperávamos que as secas reduzissem a sobrevivência até certo ponto de todas as espécies”, acrescenta.

Segundo o mesmo site, as aves com uma expectativa de vida mais curta – que poderiam reduzir a reprodução com menos facilidade – ou continuaram a reproduzir-se ou apenas fizeram pequenos cortes. Mas também tinham menos probabilidade de sobreviver.

De seguida, os autores do estudo modelaram como certas espécies se podem comportar em três cenários diferentes de alterações climáticas. A equipa estimou que, enquanto um aumento na frequência de secas reduziria todas as populações de pássaros estudadas, as espécies com esperança de vida mais longa eram mais resistentes.

Mouton disse que esta pesquisa sugere que “populações de espécies de pássaros canoros tropicais com vida mais longa podem ser mais capazes de mitigar os efeitos das secas do que se pensava”.

No entanto, advertiu o investigador, a seca é apenas um aspeto das alterações climáticas que será uma ameaça potencial para as populações de pássaros, e que estas atuam juntamente com outros riscos, particularmente a degradação ou fragmentação de habitats.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

three + 18 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.