Logo paivense
Logo paivense

Cientista apresenta nova teoria para a formação do vulcão Etna

O cientista Iain Stewart apontou uma nova teoria para a criação do Etna: o aumento do nível do mar poderá ter sido o responsável pela criação do vulcão.

Há 130 mil anos, o Mediterrâneo atingiu o maior nível de água do mar de que há registo, seguindo de um período de aquecimento climático. De acordo com o cientista, “a correspondência entre o período de aumento do nível do mar e de transformação do vulcão Etna é mais do que uma simples coincidência“.

No estudo, recentemente publicado na Episodes, esse aumento do nível do mar e o aquecimento meteorológico causou o “encerramento” do antigo canal dos centros de erupção, que se alongava na direção norte-sul ao longo da costa atual, forçando a lava a emergir por outro lugar da ilha: o Etna.

Mas há outra hipótese para o surgimento do vulcão mais ativo da Europa. O aumento do calor na crosta terrestre pode também ter sido o impulsionador da formação do vulcão, segundo um estudo publicado em 2011 no Jornal Italiano de Geociências do Observatório do Etna, ligado ao Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (Ingv).

À Ansa, o cientistas Stefano Branca, um dos autores do estudo de 2011, explicou que no artigo científico “demos uma explicação muito mais simples e plausível”.

Segundo o cientista, a formação do vulcão Etna deve-se ao gradual aquecimento térmico da crosta terrestre e a uma maior eficiência no mecanismo de subida do magma, que se concentrou “numa zona de saída preferencial, ou seja, o Etna”.

O Etna é o vulcão mais ativo da Europa e fica situado na região de Sicília, entre as províncias de Catânia e Messina, em Itália.

Fonte: ZAP