Logo paivense
Logo paivense

Cientistas apanham pela primeira vez um lagarto a respirar debaixo de água

Cientistas acreditam que o lagarto consiga estar cerca de 15 minutos submerso

O ano está prestes a chegar ao fim, mas não sem antes nos deixar uma das coisas mais bizarras e incríveis já registadas no mundo animal: um lagarto costa-riquenho a respirar debaixo de água.

Captadas recentemente na Costa Rica, as imagens de um largado do género Anolis  revelaram que a espécie Anolis oxylophus possui uma habilidade extremamente incomum: os lagartos desta espécie respiram oxigénio armazenado debaixo de água, algo que nunca foi visto nem documentado até então.

Os biólogos e cineastas Neil Losin e Nate Dappen captaram este incrível comportamento enquanto filmavam o documentário Laws of the Lizard para o canal norte-americano The Smithsonian Channel. Estes lagartos costa-riquenhos sempre foram conhecidos por conseguirem desaparecer debaixo de água durante alguns minutos, mas os cientistas acreditavam que os répteis sustinham a respiração por bastante tempo.

Os lagartos do género Anolis são pequenos e coloridos e vivem numa ampla gama de habitats, desde florestas tropicais até quintais suburbanos, mas, até agora, os biólogos não sabiam ao certo o que acontecia quando estes espécimes da Costa Rica desapareciam na água, permanecendo lá por durante 15 minutos.

A ideia de observar o que acontecia debaixo da água partiu do herpetólogo Luke Mahler, professor de Ecologia e Biologia evolutiva na Universidade de Toronto, no Canadá. O investigador pediu aos cineastas que olhassem com atenção para as suas filmagens submarinas enquanto filmavam os lagartos, para ver se conseguiam identificar quaisquer pistas que pudessem explicar o comportamento dos animais.

Quando viram as imagens pela primeira vez, Dappen e Losin não viram nada fora do comum. Mais tarde, e já quando tinham regressando aos Estados Unidos, voltaram a ver as imagens mais de perto e foi aí que identificaram o estranho comportamento. “Vimos que esse comportamento de ‘respirar novamente’ não tinha sido documentado ou descrito antes”, explicou Losin em declarações ao portal Live Science.

O vídeo mostra uma fêmea da espécie submersa no fundo do rio durante quase dez minutos. Uma pequena bolha repetidamente se expande e contrai no topo de sua cabeça. O animal parece estar reciclando seu ar, assim como um mergulhador faz com o oxigénio de um tanque, tal como mostram as imagens abaixo.

The Smithsonian Channel

Segundo Dappen, esta estranha capacidade pode permitir a estes lagartos ficarem submerso tempo suficiente para evitar ameaças terrestres como predadores. Este método de “fuga” já foi registado em alguns invertebrados, como aranhas e besouros, mas este pode ser o único exemplo já descoberto em vertebrados terrestres.

Os cientistas não sabem ainda por que conseguem os lagartos respirar nesta condições. Contudo, e agora que descobriram que o comportamento ocorre na natureza, pretendem levar a cabo mais estudos sobre a mecânica da respiração submersa.

“[Esta descoberta] demonstra uma das coisas que os biólogos costumam descobrir: que há muitas coisas que não sabemos sobre a natureza”, rematou Dappen.