Logo paivense
Logo paivense

Crónica: o crescente desinteresse dos jovens pela vida política

Depois de longos anos de contacto com a população mais jovem, cheguei à conclusão que o distanciamento da juventude não se deve ao fato de não terem sentido crítico, mas sim aos maus exemplos de alguns políticos, principalmente os de montra nacional que ao longo dos anos nos vão chegando a casa através da imprensa nacional.

Casos de corrupção, diversos escândalos políticos fazem com que os jovens não tenham confiança e, pior ainda, não lhes permita entender que para haver uma mudança significativa neste quadro é fundamental a nossa participação no exercício da cidadania. É óbvio que existem excelentes políticos em Portugal, mas temos por hábito moldar a nossa opinião pelas informações negativas, desvalorizando muitas vezes as positivas.

É realmente triste perceber que em Portugal, ainda é muito pequena a participação dos jovens em debates relacionados à política. Sou defensor de uma política pública voltada para a juventude e que ofereça respostas às diversas necessidades que os jovens possuem, melhorando assim a qualidade de vida e favorecendo ao máximo a participação de nós jovens nas decisões políticas do nosso município e do nosso país.

Outro erro cometido pelos políticos é tratar a juventude como se fosse um conjunto único, as necessidades dos jovens devem ser observadas de acordo com o local onde vivem, o sexo que possuem, a faixa etária, para assim saber os problemas e necessidades de cada grupo. É claro que alguns problemas são os mesmos de toda a população, como por exemplo: educação, saúde e emprego. Contudo, merecemos atenção especial em alguns aspetos como a entrada no mercado de trabalho.

Diante de todas estas dificuldades e conquistas que ainda poderemos alcançar, nós jovens não nos devemos esquecer da política. Devemos acreditar, participar, lutar e confiar na força que temos, e exigir dos nossos representantes que façam alguma coisa de melhor para nós, pois a nossa força é um instrumento de transformação. Muitos jovens sonham em mudar o mundo, alguns já arregaçaram as mangas e estão empenhados em tornar este sonho realidade, mas o sonho só se tornará realidade quando ocuparmos o nosso espaço na política.

Autor: João Pedro Teixeira