Fabiano de Abreu

Serei curto e breve em minha colocação. Geralmente procuro manifestar-me apenas em casos que não percebo uma manifestação em prol de uma definição efetiva do caso.

O tema dos incêndios em “meu concelho” parece mais uma telenovela mexicana que estão sempre a “encher chouriço” e nunca acaba. Constantemente recebo textos sobre partes e colocações e no final, é só perda de tempo.

Alguns provérbios populares são como exemplos curtos de um raciocínio lógico para relembrar e praticar como o: ‘A males que vem por bem.’

Infelizmente tivemos tal tragédia dos incêndios que presenciei e lamentei, eu, apaixonado pela natureza, vi minha cotidiana paisagem, agora, preta e lamentei as perdas e sofrimentos.

Mas voltando ao provérbio citado, este é o momento para chamarmos a atenção do estado para nossa região e com isso beneficiarmos por ser recordado e deixar de ser esquecido.

Já passei por experiências de ouvir de pessoas públicas em Portugal e fora de Portugal que não conheciam ou somente já ouviram falar em Castelo de Paiva, um concelho que para mim, é melhor que o Porto ou Lisboa, pois guardamos a essência, a natureza e a cultura preservada que na Europa já quase não há.

Onde está a voz ativa e a ação das pessoas que nos representam para gritar ao mundo: Estamos aqui, somos um património cultural, temos o melhor vinho e precisamos ser vistos!

E com isso, conseguirmos a devida atenção para o desenvolvimento da região.

Fabiano de Abreu – Escritor, pesquisador, filósofo e jornalista 


  • Espaço livre para publicações de crónicas e poemas. Os textos não são editados nem alterados.
  • A responsabilidade pelo texto aqui redigido é inteiramente do autor e seu envio é registado via assinatura digital. 
  • Tens uma crónica ou um poema? Enviem-nos para info@paivense.pt ou por mensagem em nossa página no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

fifteen − 10 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.