Ao longo destes tempos
Eu afastei pessoas por ti,
Pessoas que nutriam sentimentos
E que mesmo assim afastei de mim

Tudo porque eu não consegui
Esquecer aquilo que contigo vivi,
Fiquei rejeitando o que senti,
Porque só tinha olhos para ti

Fiz sofrer e também sofri
E parece que dura até hoje,
Continuas distante de mim
E cada vez é pior isto de estar longe

Eu não sei o que fazes comigo
Que eu não chego a pensar direito,
Só penso em estar apenas contigo
Seja onde for, seja de qualquer jeito

Tu sabes que me tens facilmente
E isto é um jogo que saio a perder,
Algo que deixa cego o coração e a mente
E eu já não sei se quero vencer

Porque sempre que perco
Eu perco-me em ti ,
E com esta definição
Acabei por definir o que sinto por ti

Nós não gostamos do fácil
Porque esse facilita tudo,
E apesar de não me seres alcançável
Nós de certa forma temos o nosso mundo

Até hoje tentei perceber isto que sinto
E não consegui responder à pergunta,
Já não sei se me mentes ou se te minto
Mas de qualquer forma o destino nos junta

Nós já desistimos tantas vezes
E isso acabou por resultar em nada,
Eu não quero que me deixes,
Porque sei que sem ti sou uma falhada

Tu sabes os meus medos,
As minhas fragilidades,
Tu tens os teus segredos
E as tuas prioridades

Eu não me sinto suficiente
Quando não te tenho por perto
Mas tu ainda não sabes o que sentes,
Não sabes se é errado ou certo

E eu quero alguém
Que saiba o que quer,
Que escolha o meu bem
Do que a outra coisa qualquer.

Vera Carvalho


  • Espaço livre para publicações de crónicas e poemas. Os textos não são editados nem alterados.
  • A responsabilidade pelo texto aqui redigido é inteiramente do autor e seu envio é registado via assinatura digital. 
  • Tens uma crónica ou um poema? Enviem-nos para info@paivense.pt ou por mensagem em nossa página no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

six − 4 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.