O Paivense busca dar voz às pessoas que vivem nos concelhos de nossa região. Hoje trazemos a primeira parte da crónica de Marc Rodrigues, do blogue literário Sarcasmos Irónicos. O conteúdo do texto a seguir é de total responsabilidade de seus autores.

Deixai-me dizer que sois um traço fino
e dormente na calada da noite obscura,
sem vontade, sem nascimento ainda,
sem expressão, num quadro sujo.
Sois jovens, bonitos, sonhadores,
Inúteis, inférteis, rasgados, grotescos,
de cera, de merda, de ódio, de cabeça
fechada, orgulho aberto e um tesão enorme
pela plasticização do mundo.
Achais graça à mutilação da vossa própria vontade,
caminhais nas ruas circulares do contentamento,
levais os bolsos cheios de desalento,
mas gostais das vossas calças bonitas.
E por isso, recusais a nudez.
Que problema há em andar nu?
Tendes medo que na vossa flor da pele
ainda não tenha tocado a primavera?
Deixai-vos de estações!
É tempo de tirar este comboio
da linha.
Eu não digo:
Vivam na margem.
Digo antes que não se esqueçam do fio de Ariadne,
porque os caminhos estão cheios de Minotauros
e pior.
Gostais da chama que tendes na palma da mão?
Lembrai-vos então da água que vos cerca,
evita a labareda e que vos fode.
E escolhei se isto é uma Elegia
ou uma Ode.

Marc Rodrigues


  • Espaço livre para publicações de crónicas e poemas. Os textos não são editados nem alterados.
  • A responsabilidade pelo texto aqui redigido é inteiramente do autor e seu envio é registado via assinatura digital. 
  • Tens uma crónica ou um poema? Enviem-nos para info@paivense.pt ou por mensagem em nossa página no Facebook.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

9 + ten =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.