Início Crónicas Crónica: A mulher brasileira e o assédio sofrido pela esposa do ator...

Crónica: A mulher brasileira e o assédio sofrido pela esposa do ator Marcello Antony em Portugal

Crónica de Fabiano de Abreu. Os textos são de inteira responsabilidade de seus autores.

O ator Marcello Antony e sua esposa, Carolina Villar, vítima de assédio em Portugal.

Preocupo-me muito com o pré julgamento humano. É impossível fazer julgamento de qualquer pessoa que seja, sem antes percebermos-lhe a essência, e o contexto em que vive, para uma conclusão final.

Não podemos apontar motivos, razões nem soluções para toda gente sem saber, de facto, toda história. Contrário disso, é um atestado de ignorância.

Percebo que cá em Portugal existe muito preconceito e julgamento para com as mulheres brasileiras. Devido ao ocorrido com Marcello Antony, ator de ‘Valor da Vida’, da TVI, e conhecido ator de telenovelas no Brasil, que teve a esposa desrespeitada e agarrada à força em Portugal, apenas pelo facto de ser brasileira, resolvi manifestar-me sobre a questão:

Sou filho de portugueses, mas fui criado no Brasil. Passei boa parte de minha vida no Brasil, e por isso tenho total segurança em dizer que as mulheres no Brasil não são mais “fáceis” do que cá em Portugal.

Penso quantos são os portugueses que descobriram nas brasileiras a felicidade e casaram-se com elas. São quantas as brasileiras filhas e netas de portugueses que falam o “brasileiro” e são julgadas, mesmo sendo verdadeiramente sangue dessa terra. Portugal é, desde sempre, uma terra de migrantes, aonde toda gente tem um familiar em algum lugar do mundo. Vamos exaltar a coragem dos que daqui saíram, dos desbravadores e navegadores, pois a maioria deles saíram fisicamente, mas permanceram com a alma e o coração em Portugal, e hoje injetam dinheiro cá, e contribuem para a melhora da economia deste que já foi, recordem-se, um dos países mais pobres da Europa há poucas décadas atrás.

Certa vez um português disse-me algo:

“O problema é que são muitas prostitutas brasileiras em Portugal”. Então respondi-lhe:
Claro! Os portugueses contratariam as africanas da lusofonia? Um país como o Brasil, com 210 milhões de habitantes, aonde existe uma pequena elite, onde alguns indivíduos concentram fortunas e são mais ricos que quase toda Europa, enquanto a maioria são pobres, e que o resultado da miscigenação deu em uma característica física bonita das mulheres, é claro que terão mais prostitutas brasileiras que de outros países que falam a mesma língua, o português. É apenas uma questão óbvia de proporção. Um português que quer satisfazer suas necessidades, olha para o lado e dá-se conta de que está em um país com grande número de pessoas solteiras e divorciadas, vai interessar-se por mulheres que cuidam do corpo e da beleza ou por mulheres que não despertam-lhe nenhuma atração física? Infelizmente é o que ocorre, e não podemos fingir que não é desta maneira.

Há sim mais prostitutas brasileiras do que de outros países da lusofonia, porque o Brasil é a maior comunidade lusófona, e tem população maior do que todos os demais países da lusofonia juntos. Há mais mulheres brasileiras bonitas, que cuidam da beleza, do corpo e da boa forma, há mais mulheres brasileiras simpáticas, como também há mais mulheres brasileiras arrogantes, sérias, que não são bonitas nem simpáticas. Há mais mulheres brasileiras de todo tipo, em relação a qualquer outro país que fala o idioma. Pois há, nomeadamente, mais mulheres brasileiras. Simples assim.

Sou totalmente contra a prostituição, e penso que devem haver leis mais severas, não apenas para coibir a prostituição, mas também para punir aqueles que agridem mulheres, de qualquer nacionalidade. E a ignorância deve ser vencida pela evolução intelectual. É preciso despir-se dos preconceitos e estereótipos, e perceber que: não há um rótulo ou padrão definido para ninguém.

Se o nosso julgamento levar em conta apenas números e estatísticas, então deveríamos julgar as mulheres portuguesas, devido aos números e estatísticas de traição. Mas mesmo assim, não as julgo, e que fique claro o quanto as respeito. Também é facto que há muita beleza cá em portugal nas belas mulheres portuguesas, e que a beleza não é algo exclusivo das brasileiras.É louvável a maneira como as mulheres portuguesas cuidam de seus lares e dedicam-se aos seus filhos. Admiro e respeito as mulheres portuguesas, assim como admiro minha mãe, portuguesa, natural da Ilha da Madeira, que ensinou-me valores que norteiam minha vida até a presente altura, e que moldaram meu caráter.

Sou casado com uma brasileira séria, uma mistura de pai alemão com mãe brasileira, que pegou a “frieza” alemã e a doutrina doméstica de dona de casa ensinada às brasileira. Não se pode julgar as pessoas pela sua nacionalidade, nem por condição social. Quem não conhece sua história, não sabe nada sobre si, suas lutas e trajetória, não é capaz de opinar sobre o teu presente, nem tampouco sobre o futuro.

Fabiano de Abreu com os pais

Fabiano de Abreu


  • Espaço livre para publicações de crónicas e poemas. Os textos não são editados nem alterados.
  • A responsabilidade pelo texto aqui redigido é inteiramente do autor e seu envio é registado via assinatura digital. 
  • Tens uma crónica ou um poema? Enviem-nos para info@paivense.pt ou por mensagem em nossa página no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

three + one =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.