Para quem nunca viu, aqui vai uma vista aérea (foto tirada pelo meu saudoso pai no final da década setenta do Século passado) do Rio Douro, e o Rio Paiva a desaguar neste rio. Aqui vê-se bem o ilhéu, que após a construção da Barragem de Crestuma/Lever, em 1982, veio a ser Ilha dos Amores para uns e Ilha do Castelo para outros, e Outeiro na escritura. Só era ilha no inverno. Aqui também se pode ver a ligação daquela parcela de terreno a Escamarão, Souselo, Cinfães, daí estar registado na Conservatória do Registo Predial de Cinfães.

Foto tirada na década de 70 da Ilha dos Amores

No mandato 1982-1985 foi adquirido pela Câmara Municipal de Castelo de Paiva, aos seus proprietários, os donos da CASA DA CARDIA, em Fornos, Castelo de Paiva. Em 1998 apoiamos as escavações que permitiram encontrarem-se objectos valiosos e os resto da ermida. Estão na Escola de Arqueologia do Marco de Canaveses.

Em 2003, concretizamos um investimento de valorização da ilha, com a colocação de um cais de acostagem para embarcações, um parque de merendas e a colocação de caminhos pedonais. Na época sofri na época a contestação pública do então Presidente da Câmara de Cinfães, e da oposição socialista, onde se encontrava o actual Presidente da Câmara.

Em 2009, como Presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva assisti ao centésimo aniversário da Banda de Fornos. Com o apoio do Executivo que liderava foi possível fazer-se um concerto inédito, em pleno Rio Douro e junto à Ilha do Castelo (Ilha dos Amores). Foi um momento que jamais esquecerei, não podendo aqui esquecer o apoio imprescindível da embarcação que permitiu tudo isto acontecesse e que foi cedida graciosamente pela empresa INERSEL, SA propriedade do Sr.José Oliveira, natural de Escamarão. A segunda foto ilustra bem como deixamos a ilha a 31.10.2009. Esta ilha fica na confluência de dois rios, três concelhos, três distritos e muitas mais freguesias.

Saibamos todos proteger e valorizar um património que é de todos os portugueses. Neste caso em apreço património natural de Cinfães, propriedade do Município de Castelo de Paiva. Um ex-libris da região onde se insere, e neste caso a natureza também é cultura.

Paulo Ramalheira Teixeira

Presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva de 7.1.1998 a 31.10.2009


  • Espaço livre para publicações de crónicas e poemas. Os textos não são editados nem alterados.
  • A responsabilidade pelo texto aqui redigido é inteiramente do autor e seu envio é registado via assinatura digital. 
  • Tens uma crónica ou um poema? Envia-nos um email para info@paivense.pt ou por mensagem em nossa página de Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × three =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.