Início Cultura Fabiano de Abreu conversa no ‘Mesa Filosófica’ com Alberto Santos sobre...

Fabiano de Abreu conversa no ‘Mesa Filosófica’ com Alberto Santos sobre homossexualidade

COMPARTILHAR

O filósofo e jornalista Fabiano de Abreu estreou-se nesta quinta-feira(4) em seu programa na TV portuguesa, chamado ‘Mesa Filosófica’, no Novum Canal, que tem transmissão online via streaming. Fabiano contou com a presença do autor Alberto S. Santos, que falou sobre o seu ‘Amantes de Buenos Aires’, inspirado na história real que foi tema de filme na Netflix, de Elisa e Marcela, duas mulheres da Galiza que se casaram no altar, um século antes da legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Alberto S. Santos falou não apenas sobre a sua obra, mas também conversou sobre homossexualidade, que é um assunto ainda polémico em alguns meios mais conservadores: “A história se passa em 1901 na Galiza rural, conservadora, onde Eloisa e Marcela decidiram começar a manifestar publicamente seus afetos e se casar. Nessa época, casar sobretudo pela igreja não era possível. Hoje é possível casar pelo registro civil, na conservatória, mas não pela igreja. Para isso uma delas se transformou por um tempo em um homem e tiveram que sair da Galiza para seguir com suas vidas”. 

Alberto Santos e Fabiano de Abreu

A transportar o assunto para a presente data, Fabiano acredita que é possível que algumas pessoas busquem ter experiências homossexuais por questões circunstanciais: “Alguns acabam por buscar um relacionamento homossexual por causa de uma decepção em um relacionamento hétero ou por sofrerem violência doméstica, e assim passam a ter trauma do homem, e optam por buscar em uma outra mulher a solução para a solidão. Suponho que aquela altura era muito mais perigosa para se assumir um relacionamento homossexual”. 

Fabiano afirma que existe hoje uma indução midiática sobre o tema, sobretudo em outros países: “No Brasil, por exemplo, neste momento existe uma indução muito grande. Eu li uma entrevista de um gajo que teve a primeira experiencia sexual dele com outro homem, por mera curiosidade, sendo induzido na escola, segundo ele. Alberto concorda: “Em Portugal o casamento de pessoas do mesmo sexo existe, não havendo nenhuma censura social, mesmo para quem tem uma visão mais ortodoxa, há uma aceitação dessa realidade com naturalidade, muito mais que no Brasil. O que não vejo é uma pressão da opinião pública e dos influenciadores daqui levando as pessoas a aderir a uma moda, a se tornarem homossexuais por acharem que isso é uma moda”, disse o autor.

Para o filósofo, o tema da homossexualidade é algo que deve ser respeitado na sociedade, pois a cada um deve ter assegurado os seus direitos: “Odeio julgamentos. Precisamos nos adaptar e viver uma realidade sem tornar isso algo partidário, aprendendo a conviver com isso, pois estamos em um comboio social. Não se deve excluir as pessoas da sociedade por sua orientação sexual. Mas isso no século passado, certamente nao era visto da mesma maneira”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

three × three =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.