Início Ambiente Plano de Adaptação às Alterações Climáticas no Tâmega e Sousa ...

Plano de Adaptação às Alterações Climáticas no Tâmega e Sousa apresentado em conferência internacional

COMPARTILHAR
Alterações Climáticas no Tâmega e Sousa
Alterações Climáticas no Tâmega e Sousa

O Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas no Tâmega e Sousa (PIAAC-TS), que está a ser elaborado pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), vai ser apresentado na Conferência Europeia de Adaptação às Alterações Climáticas – a ECCA – European Climate Change Adaptation Conference –, que este ano decorre no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, a partir de amanhã e até esta sexta-feira. 

Sendo a ECCA um fórum internacional de apresentação e discussão de trabalhos de investigação em curso no âmbito das alterações climáticas e correspondentes medidas de adaptação em diversos setores, a seleção do PIAAC-TS é representativa do rigor científico e do caráter inovador deste plano, que será apresentado como um bom exemplo de extensão, investigação e suporte à definição de estratégias de adaptação às alterações climáticas à escala regional. 

A apresentação está agendada para terça-feira, dia 28, e estará a cargo de João Andrade dos Santos, Professor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, entidade que, a par do IDARN – Instituto para o Desenvolvimento Agrário da Região Norte, da Universidade do Minho, do ICETA – Instituto de Ciências e Tecnologias Agrárias e Agro-Alimentares da Universidade do Porto e dos 11 municípios que integram a CIM do Tâmega e Sousa, constituem a equipa de trabalho do PIAAC-TS. 

O PIAAC-TS apresenta-se como uma estratégia transversal, seguindo as orientações e objetivos da Estratégia Nacional de Adaptação à Alterações Climáticas, que visa desenvolver e aprofundar conhecimento sobre esta temática, quais os principais impactos na região e quais as medidas de adaptação mais apropriadas. 

São objetivos do PIAAC-TS reduzir a vulnerabilidade e aumentar a resiliência aos eventos decorrentes das alterações climáticas, em especial aos fenómenos extremos; dotar a região de conhecimentos relativamente às alterações climáticas e à predisposição a eventos climáticos extremos, e respetivos impactos adversos sobre a segurança de pessoas e bens; aumentar o nível de proteção, recuperação e valorização dos ecossistemas e melhorar o conhecimento sobre o ambiente; definir formas de integração da adaptação nos instrumentos de gestão territorial de âmbito local, municipal e regional; sensibilizar para a mudança de comportamentos e divulgar as medidas adaptativas, reforçando a participação pública; e melhorar a qualidade de vida da população dos municípios que integram a CIM do Tâmega e Sousa e daqueles que procuram região para o desenvolvimento das suas atividades profissionais, lúdicas ou turísticas. 

De referir que o Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial do Tâmega e Sousa (PDCT do Tâmega e Sousa), firmado pela CIM do Tâmega e Sousa com a Comissão Diretiva do Norte 2020, do PDR – Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020, do POISE – Programa Operacional Inclusão Social e Emprego e do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, definiu, numa das suas prioridades de investimento, a concessão de apoio ao investimento para a adaptação às alterações climáticas, incluindo abordagens baseadas nos ecossistemas. 

É nesta prioridade que se inscreve o PIAAC-TS, um projeto promovido pela CIM do Tâmega e Sousa e cofinanciado pelo PO SEUR 2014-2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão.