Logo paivense
Logo paivense

Descobertos em Oleiros fósseis nunca antes identificados em território português

Uma equipa coordenada pela paleontóloga Sofia Pereira, da Universidade de Coimbra, descobriu e identificou diversos fósseis marinhos, incluindo fósseis de braquiópodes nunca antes identificados em território português. A descoberta deu-se no concelho de Oleiros, em Castelo Branco.

“Os últimos trabalhos de campo realizados entre os dias 4 e 7 de Outubro levaram à redescoberta de antigas jazidas de fósseis assim como à descoberta de novos sítios paleontológicos, incluindo fósseis de braquiópodes nunca antes identificados em Portugal”, explica Jorge Colmenar, especialista espanhol a trabalhar na Universidade de Ghent, na Bélgica, citado num comunicado da Naturtejo.

O projeto de investigação em curso no território do Geopark Naturtejo Mundial da UNESCO, coordenado pela paleontóloga Sofia Pereira, da Universidade de Coimbra, levou à identificação de abundantes fósseis marinhos com uma idade aproximada compreendida entre os 467 e os 444 milhões de anos, correspondendo ao período Ordovícico Médio a Superior.

Já o coordenador científico do Geopark Naturtejo, Carlos Neto de Carvalho, que participa na investigação, identifica a ocorrência de faunas onde abundam diferentes espécies de trilobites e de minúsculos crustáceos ostracodes, braquiópodes, bivalves, equinodermes, briozoários, entre muitos outros.

Outras áreas que se revelaram ricas em fósseis destas idades incluem o Monumento Natural das Portas de Ródão, a Serra do Perdigão, a Herdade de Vale Feitoso e as Portas do Muradal, nas proximidades de Vilar Barroco.

Os primeiros resultados deste projeto serão publicados no início de 2021 em volume especial da revista Geoconservation Research, e será dedicado aos fósseis dos geoparques europeus da UNESCO.