Início Desporto Caso de corrupção no Sporting com novas suspeitas e 3 novos arguidos

Caso de corrupção no Sporting com novas suspeitas e 3 novos arguidos

Miguel A. Lopes / Lusa

Há novas revelações e novos arguidos no âmbito do caso de corrupção de jogos de futebol e de andebol do Sporting. Surgem suspeitas de que o clube teria um “saco azul” com dinheiro reservado para os alegados subornos.

Este dado é avançado pelo jornal Expresso que refere que a Polícia Judiciária do Porto, que está a investigar o caso, encontrou 60 mil euros em dinheiro guardados num cofre no gabinete de trabalho de André Geraldes, o “braço-direito” de Bruno de Carvalho no Sporting.

A PJ acredita que este dinheiro tinha por fim pagar subornos a árbitros de andebol e a jogadores de futebol, para obter benefícios para o Sporting, conforme refere o Expresso.

André Geraldes, que é o director de futebol do Sporting, é o principal suspeito da chamada Operação Cashball que se centra em suspeitas de corrupção em jogos de andebol e de futebol do Sporting. Ele foi ouvido no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto e saiu em liberdade, tendo que pagar uma caução de 60 mil euros e ficando impedido de frequentar as instalações do Sporting e de exercer funções no clube, bem como proibido de contactar os outros arguidos.

O mesmo se aplica ao braço-direito de Geraldes no Sporting, Gonçalo Rodrigues, funcionário do Gabinete de Apoio ao Atleta, e também arguido no caso.

Os empresários Paulo Silva e João Gonçalves também saíram em liberdade, após serem interrogados no TIC, e ficam sujeitos às mesmas medidas de coacção.

Entretanto, o Público apurou que há mais três arguidos no processo, suspeitos de corrupção passiva, que serão agentes desportivos ligados ao andebol.

Suspeitas envolvem oito jogos de futebol

Dos quatro arguidos já ouvidos no TIC, o Expresso refere que só Paulo Silva falou à juíza de instrução. E o Correio da Manhã acrescenta que este empresário, que denunciou o caso às autoridades, confessou ter sido intermediário do alegado esquema de corrupção em dez jogos de andebol e em oito jogos de futebol do Sporting.

Um desses jogos de futebol sob suspeita será o Vitória de Guimarães-Sporting, que os leões venceram por 5-0 a 19 de Agosto de 2017. O CM e a SIC revelaram mensagens de WhatsApp do telemóvel de Paulo Silva, escritas e de voz, que indiciam suspeitas de corrupção do médio vitoriano João Aurélio.

João Aurélio esteve na origem do lance do primeiro golo do Sporting no jogo.

Outro desafio sob suspeita é o Feirense-Sporting (2-3) e há indícios contra o médio brasileiro Bruno Nascimento, que está ligado aos dois primeiros golos dos leões, aponta o Sol.

Este semanário acrescenta que também os desafios do Sporting contra Desportivo das Aves, Estoril e Tondela, desta temporada, e um jogo contra o Desportivo de Chaves da época 2016/2017, estão sob suspeita.

Entretanto, o CM também revela conversas entre Paulo Silva e João Gonçalves sobre uma alegada tentativa de suborno do defesa Mano, do Estoril. O jornal conta que o “director do Sporting viabilizou suborno de 3000 euros” para o atleta, mas que este os mandou “catar pulgas”, conforme terá desabafado Paulo Silva.

A resposta de João Gonçalves, nessa conversa, foi de que “o Benfica ofereceu 95 mil euros ao plantel do Estoril para não perder com o Sporting”, cita o CM.

A Federação Portuguesa de Futebol já anunciou a abertura de um processo de inquérito para investigar as “denúncias de eventuais actos de corrupção”.

SV, ZAP //

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

eleven + two =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.