Nuno Fox / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

Em 2017, o Estado foi lesado em cerca de 1100 milhões de euros por erros, infrações financeiras e comparticipações irregulares, aponta o relatório da Inspeção-Geral de Finanças (IGF) relativo ao ano passado.

De acordo com o Correio da Manhã, que avança com os números esta segunda-feira, as contas verificadas dizem respeito a mais de uma centena e meia de entidades da administração central do Estado mas também de autarquias e empresas públicas.

Em termos gerais, os inspetores realizaram, no ano passado, quase uma ação de controlo por dia em vários setores do Estado. O relatório de atividade da IGF destaca os “823 milhões de euros decorrentes de erros em demonstrações financeiras”.

De acordo com o documento, foram realizadas comparticipações financeiras irregulares no valor de 21 milhões de euros e detetados 11 milhões de euros em falta. Foram ainda comunicadas infrações financeiras e criminais no valor de 200 milhões de euros. No total, todos este erros e infrações ascenderam a 1100 milhões de euros.

No ano passado, a IGF recebeu 1397 queixas e denúncias, 471 das quais foram remetidas para os respetivos centros de competência – destas, 387 (82%) eram relativas a autarquias.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

seventeen − 14 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.