Início Economia Em 2010, Berardo já não tinha dinheiro para pagar a dívida

Em 2010, Berardo já não tinha dinheiro para pagar a dívida

COMPARTILHAR

António Cotrim / Lusa

Em 2010, o Banco de Portugal (BdP) não encontrou provas de que o grupo Berardo tivesse capacidade financeira para pagar a dívida à Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Em 2010, a Fundação Berardo e a Metalgest tinham um dívida de 357 milhões de euros, segundo um relatório do Banco de Portugal sobre os créditos da Caixa Geral de Depósitos para a compra de ações.

De acordo com a edição deste sábado do Correio da Manhã, já nesse ano (e três anos após a reestrutura das dívidas da Fundação à CGD, ao BCP e ao BES), o BdP não encontrou provas de que o grupo Berardo tivesse dinheiro para pagar a dívida ao banco público.

Tanto no caso da Fundação Berardo como da Metalgest, o Banco de Portugal afirma que “não existe evidência do mutuário [devedor] conseguir reembolsar o crédito sem ser por via da execução das garantias”.

Como garantia do pagamento dos créditos, Berardo deu à Caixa as ações do BCP, os direitos dos títulos de participação na Associação Coleção Berardo, dona da Coleção Berardo, e o aval pessoal do empresário madeirense.

No caso da Fundação, o supervisor sublinhou ainda a “falta de evidência de capacidade financeira do mutuário [para fazer face à dívida]”. O BdP defendeu também que a CGD não devia aceitar o aval pessoal de Berardo, no valor de cerca de 38 milhões de euros, por que não existia uma avaliação do património do empresário.

Berardo é um exemplo dos vários clientes a quem a Caixa Geral de Depósitos concedeu créditos para a compra de ações, cujo pagamento foi garantido pelos próprios títulos adquiridos. No final de 2010, a CGD tinha concedido a clientes 3,6 mil milhões de euros para a compra de ações.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

twenty + seven =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.