Início Economia Ex-gestores do BES reclamam mais de 24 milhões de euros. Ricardo Salgado...

Ex-gestores do BES reclamam mais de 24 milhões de euros. Ricardo Salgado quer 10 milhões

COMPARTILHAR

José Sena Goulão / Lusa

A maioria dos ex-gestores que foram acusados pela insolvência do Banco Espírito Santo estão entre os cinco mil credores reconhecidos pela comissão liquidatária do banco falido, reclamando um montante total superior a 24 milhões de euros.

De acordo com o Jornal de Negócios, Ricardo Salgado, antigo presidente da instituição, está a exigir ser ressarcido em 9,9 milhões de euros. Além de Ricardo Salgado, Amílcar Morais Pires exige o pagamento de 5,6 milhões de euros, enquanto Manuel Espírito Santo Silva e José Maria Ricciardi reclamam cerca de 2,5 milhões cada. Ricardo Abecassis pede 1,4 milhões, de acordo com a lista que deu entrada no Tribunal de Comércio de Lisboa.

Manuel Fernando Espírito Santo Silva, Joaquim Goes, Rui da Silveira, António Souto, Jorge Martins, Pedro Mosqueira do Amaral, Stanislas Ribes e João Freixa reclamam, cada um, créditos inferiores a um milhão de euros.

Dos antigos administradores do BES, só José Manuel Espírito Santo Silva é que não apresentou qualquer reclamação de crédito, segundo o mesmo jornal.

Mas a lista de credores reconhecidos não inclui apenas credores particulares, mas também bancos e fundos de investimento, escreve o Jornal Económico. Neste segundo grupo estão incluídos o Goldman Sachs, a Pimco e a Blackrock que, em conjunto, reclamam mais de mil milhões de euros – 20% do montante total de créditos ao banco falido em 2014.

A Pimco reclamou 568 milhões de euros, a maior quantia exigida por estas três entidades estrangeiras. Segue-se o Goldman Sachs, que reclamou 314 milhões e a Blackrock, que exigiu a restituição de 135 milhões.

Entra as entidades nacionais, o Banco de Portugal exigiu cerca de seis milhões de euros, uma quantia significativamente abaixo da reclamada pelo Novo Banco: 277 milhões.

A comissão liquidatária é a mesma que classificou a falência do BES como culposa, com 13 responsáveis, que são os nomes indicados acima e reconhecidos, igualmente, como credores.

Todos eles também contestam na Justiça a qualificação da auditoria da comissão, com base no argumento de que não se pode considerar que omitiram a situação de insolvência do BES porque também investiram montantes avultados em instrumentos financeiros do banco.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × two =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.