Início Economia Interesse na compra da TVI faz ações da Cofina subir mais de...

Interesse na compra da TVI faz ações da Cofina subir mais de 5%

José Sena Goulão / Lusa

O Diretor de Informação da TVI, Sérgio Figueiredo

As ações da Cofina subiam esta segunda-feira mais de 5%, depois de na semana passada a dona do Correio da Manhã ter confirmado que estava a negociar com a Prisa a compra da Media Capital, dona da TVI.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) levantou a suspensão da negociação das ações da Cofina e da Media Capital na passada sexta-feira (16 de agosto). No dia 14 de agosto, a negociação das ações da Cofina tinha sido suspensas pela CMVM, depois de o Expresso ter noticiado que a dona do Correio da Manhã estava em conversações com a Prisa para a compra da TVI.

Nesse mesmo dia, a Cofina confirmou que estava a negociar com a Prisa a compra da Media Capital, e um dia depois coube à empresa espanhola confirmar que estava em negociações em regime de exclusividade com a dona do Correio da Manhã sobre uma eventual venda da Media Capital.

Qualquer guia de fintech explica que a notícia da compra de uma empresa por outra faz  aumentar as ações de quem é vendido e, quase sempre, de quem compra. Foi este o caso da Cofina, que no início da sessão desta segunda-feira chegou a valorizar mais de 6%, seguindo cerca das 9h10 a ganhar 5,62% para 0,47 euros. As ações chegaram a estar a valorizar 14,61%, para 0,45 euros a meio da sessão.

Em 16 de agosto, a Cofina adiantou que estava a negociar com a Prisa a aquisição da Vertix, que detém 94,69% da Media Capital, admitindo lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a dona da TVI.

A notícia seguiu-se a meses de especulação no mercado acerca do potencial interesse do grupo de media na estação de televisão.

A Cofina é dona do Correio da Manhã, CMTV, Jornal de Negócios e Record, entre outros meios de comunicação social, tendo já mostrado interesse em estar presente no mercado de televisão aberta. Não há ainda valores concretos para esta proposta.

A saída de Rosa Cullell da administração do grupo Media Capital terá marcado o início das negociações, aponta o jornal, que relaciona o avanço da Cofina com a desvalorização da TVI no mercado.

A estação de televisão, em forte quebra de audiências, era líder do mercado português – e o maior ativo da Prisa no nosso país – quando a Altice tentou comprar o grupo Media Capital.

As negociações em regime de exclusividade estarão em vigor durante um período de 30 dias, o qual poderá ser prorrogado por vontade das partes.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

four + 3 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.