Início Economia Mark Zuckerberg tem medo do TikTok (e já se sabe porquê)

Mark Zuckerberg tem medo do TikTok (e já se sabe porquê)

tuaulamac / Flickr

Mark Zuckerberg, fundador do Facebook

Mark Zuckerberg já deixou claro, mais do que uma vez, que não gosta do TikTok. No entanto, agora sabemos o que está por trás desta hostilidade pelo rival: a aplicação está a crescer muito, mesmo para os padrões a que o Facebook está habituado.

No ano passado, o TikTok conseguiu atingir um total de 738 milhões de downloads, de acordo com os números de uma empresa de análise, a Sensor Tower. Os mesmos dados dão conta de que só uma aplicação ficou acima: o WhatsApp, do Facebook.

Contudo, apesar de Mark Zuckerberg ter assegurado o primeiro lugar em termos de downloads, a verdade é que o relatório ressalta a grande ameaça que o TikTok pode representar para o atual domínio do Facebook. “Os downloads do TikTok, referentes ao ano passado, representam 44% dos 1,65 mil milhões de downloads que a aplicação teve até o momento”, escreveu a Sensor Tower.

Ainda que seja certo que nem todo o utilizador que faz um download se torna um utilizador ativo, os números não deixam dúvidas e põem em evidência o crescimento meteórico desta aplicação, especialmente na China, país onde o Facebook não tem autorização para operar.

O TikTok é, atualmente, uma ameaça para o Facebook, a rede social que nos últimos tempos esteve debaixo dos holofotes por maus motivos. Segundo o Mashable, o Facebook procurou copiar alguns dos recursos característicos do TikTok, mas esses esforços ainda não foram lançados.

Enquanto tenta superar o seu rival em silêncio, Mark Zuckerberg admite, em público, que a aplicação, propriedade da empresa chinesa ByteDance, merece mais atenção.

“Enquanto os nossos serviços, como o WhatsApp, são usados por manifestantes e ativistas em todos os lugares devido a fortes proteções de criptografia e privacidade, no TikTok, a aplicação chinesa que cresce rapidamente em todo o mundo, as menções a esses protestos são censuradas, mesmo nos Estados Unidos”, disse Zuckerberg durante um discurso na Universidade de Georgetown, nos EUA, no ano passado.

Essa é a Internet que queremos?“, questionou.

De acordo com o matutino, o TikTok negou que o Governo chinês tenha influência sobre as políticas da aplicação e a ByteDance considerou vender, pelo menos, parte da empresa em resposta às preocupações de autoridades norte-americanas.

Enquanto que Mark Zuckerberg continua a apontar o dedo à China, o TikTok continua a crescer mais rápido do que o próprio Facebook.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

10 + ten =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.