Mário Cruz / Lusa

O Produto Interno Bruto (PIB) português caiu 16,5% no segundo trimestre do ano face ao mesmo período de 2019, devido aos efeitos económicos da pandemia de covid-19, divulgou, esta sexta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

“Refletindo o impacto económico da pandemia, o PIB registou uma forte contração em termos reais no 2.º trimestre de 2020, tendo diminuído 16,5% em termos homólogos, após a redução de 2,3% no trimestre anterior”, pode ler-se numa estimativa rápida divulgada pelo INE.

“Este resultado é explicado em larga medida pelo contributo negativo da procura interna para a variação homóloga do PIB, que foi consideravelmente mais negativo que o observado no trimestre anterior, refletindo a expressiva contração do consumo privado e do Investimento”, pode ler-se na nota.

“O contributo negativo da procura externa líquida também se acentuou no 2.º trimestre, traduzindo a diminuição mais significativa das Exportações de Bens e Serviços que a observada nas Importações de Bens e Serviços devido em grande medida à quase interrupção do turismo de não residentes.”

No trimestre em que se registou a maior queda de sempre do PIB português em termos homólogos face ao ano anterior, a queda em cadeia – relativamente ao primeiro trimestre do ano – foi de 14,1%, adiantou também o Instituto Nacional de Estatística.

“Este resultado é também explicado, em larga medida, pelo contributo negativo da procura interna para a variação em cadeia do PIB, verificando-se também um maior contributo negativo da procura externa líquida”, conclui o INE.

A Comissão Europeia prevê que a economia portuguesa recue 9,8% do PIB em 2020, uma contração muito acima da anterior projeção de 6,8% e da estimada pelo Governo, de 6,9%.

PIB da zona euro afunda 15% no 2.º trimestre

Segundo a estimativa rápida preliminar divulgada pelo Eurostat, no segundo trimestre deste ano, quando as medidas de contenção para a covid-19 adotadas pelos Estados-membros tiveram maior impacto na economia, o Produto Interno Bruto (PIB) caiu 15% na zona euro e 14,4% no conjunto da União Europeia (UE), em comparação com o mesmo período de 2019.

Dos Estados-membros para os quais existem dados disponíveis para o segundo trimestre de 2020, Espanha (-22,1%) foi o país europeu com maior declínio na variação homóloga, seguindo-se França (-19%) e Itália (-17,3%).

De acordo com estes dados do gabinete de estatísticas comunitário, Portugal teve, neste período, a quarta queda mais acentuada, ao afundar 16,5%.

Ainda na comparação com o trimestre anterior, entre abril e junho, o PIB caiu 12,1% na zona euro e 11,9% na UE.

O serviço de estatística comunitário observa que esta redução trimestral representa, “de longe, os declínios mais acentuados observados desde o início das séries cronológicas em 1995”, que comparam com quedas mais contidas do PIB de 3,6% na zona euro e 3,2% na UE no primeiro trimestre de 2020.

O Eurostat ressalva, ainda assim, que estas são estimativas preliminares e ainda incompletas, que serão atualizadas em meados de agosto.


Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

20 + 13 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.