José Sena Goulão / Lusa

A Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem

O Governo vai lançar um plano para salvar empresas viáveis que será um novo mecanismo temporário para ajudar empresas que se encontrem em situação económica difícil ou em insolvência devido à pandemia.

O plano, que se vai chamar Processo Extraordinário de Viabilização de Empresas (PEVE), poderá flexibilizar o processo de chegada a acordo com os credores, encurtar prazos em tribunal, e reduzir ou isentar de juros de mora os pagamentos das dívidas ao Fisco e à Segurança Social, avançou o Jornal de Negócios na noite de domingo.

O PEVE estava previsto no Programa de Estabilização Económica e Social e o Governo já entregou o projeto de lei no Parlamento.

Segundo o Jornal de Negócios, para receber essa ajuda do Governo, as empresas terão de comprovar que, a 31 de dezembro de 2019, tinham um ativo maior do que o passivo – e que, agora, só não conseguem pagar aos credores devido à pandemia.

Caso o projeto de lei passe no Parlamento, não será requerida uma negociação entre empresa e credores em tribunal. Um juiz será chamado a decidir sobre um plano já delineado. Os credores têm 15 dias para se pronunciarem e o magistrado dez dias para decidir, sendo que este tipo de processos serão tratados como prioritários pelo sistema judicial.

Quanto mais rápido for o pagamento das dívidas, menor serão juros de mora que as empresas terão de pagar ao Fisco e à Segurança Social, explica o Jornal de Negócios. Se a empresa se comprometer a pagar nos 30 dias seguintes à homologação do acordo, ficará isenta de juros.

Os administradores judiciais esperam que o PEVE comece a funcionar antes do fim das moratórias dos bancos, em março de 2021. O plano do Governo estará em vigor até 31 de dezembro de 202.


Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

11 + 10 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.