Logo paivense
Logo paivense

Entrevista: “Percebi que gostava de descobrir e dar a conhecer ao mundo”

Susana Oliveira escolheu há quatro anos ingressar na universidade pela via do jornalismo. Uma decisão que surgiu pela pressão da folha de candidatura para a universidade. Sem saber se algum dia iria gostar de ser jornalista, arriscou e o destino trouxe Viseu e o jornalismo para o seu caminho.

Susana Oliveira estudou Comunicação Social, na Escola Superior de Educação de Viseu. Em 2014 a incerteza de que teria feito a escolha certa inquietava os seus dias. Sabia que era um grande investimento dos pais mas Susana duvidava da sua predisposição para o ramo. As disciplinas práticas aguçaram o apetite da jovem de 21 anos, natural da Bairrada, pelo jornalismo. A sua vontade levou-a até Lisboa, local onde está a fazer mestrado na área.

ENTREVISTA

De onde veio a tua vontade para ser jornalista?

Ser jornalista não é um sonho que tenho desde sempre. Para te ser sincera, quando chegou a altura de ingressar na faculdade eu ainda não sabia bem o que queria seguir. Mas a verdade é que, quando me sentei a ver o site das DGES, todas as minhas escolhas tendiam para áreas da comunicação. Mas pelo sim, pelo não, além de Comunicação Social pus outras opções na candidatura à universidade, como enfermagem por exemplo!

Depois entrei em Comunicação Social e foi aí que me deu o clique. Foi aí que percebi que o que gostava era disto, que gostava de comunicar, de descobrir coisas novas e de as dar a conhecer ao mundo.

A verdadeira vontade para ser jornalista surgiu aí, quando experimentei estar na área e no terreno. Foi aí que percebi que não queria fazer outra coisa da minha vida, que queria ser jornalista”

 Eu já via noticiários e lia jornais, mas foi a experimentar que me deu vontade de fazer o mesmo, de ser jornalista como aqueles jornalistas que apresentavam as notícias na televisão ou as escreviam nos jornais.

Qual foi a experiência que despoletou o teu interesse pelo jornalismo?

Acho que foram todas! Houve um bocadinho de cada experiência que me fez perceber e ter a certeza do verdadeiro interesse que tinha pelo jornalismo. Mas as verdadeiras experiências que me fizeram sentir que fazer jornalismo era estar na minha praia foram as colaborações que fiz com o Jornal da Bairrada e com o Portal ViseuNOW e os estágios que fiz na TVI e no VOCÊ NA TV.

Licenciada em Viseu foste para Lisboa fazer o mestrado. Qual o motivo dessa escolha?

Quando decidi tirar o mestrado já me encontrava em Lisboa. Eu fui para lá fazer o estágio curricular porque sempre quis ir para Lisboa. Assim que soube que entrei numa licenciatura em Comunicação Social, despertou em mim uma vontade enorme de ir para Lisboa, de ir para a grande capital, para aquele pequeno centro do mundo onde se passa tudo. E ao estar lá, sabia que queria fazer algo depois da licenciatura também lá. Inicialmente estava indecisa entre este mestrado (em Jornalismo na ESCS) ou num curso de especialização. Mas depois de analisar o plano curricular, os professores, o tipo de aulas, etc, optei por tirar um mestrado. Estes foram os principais motivos desta escolha. Sabia que neste mestrado podia completar algumas lacunas que podia trazer da licenciatura.

O que mais te faz vibrar no jornalismo? Há alguma área que gostes mais do que outra?

Eu vibro com todo este mundo (risos). Mas vibro muito, e em qualquer área do Jornalismo, quando estou no terreno, no ativo, a fazer e a experimentar. Mas a vibração máxima surge quando trabalho em televisão. Esta é a área que, realmente, me apaixona. Gosto muito de todas as outras áreas da comunicação e do Jornalismo, faço imprensa com muita frequência por exemplo, mas o jornalismo televisivo preenche-me na totalidade!

Lançares o blogue foi uma forma de praticares?

Eu sempre quis criar um blog. E além da minha vontade, existiu sempre a vontade dos meus mais próximos. Foram vários os amigos que há cerca de três anos me começaram a incentivar para criar uma página pessoal. Todos achavam que seria bom para mim partilhar momentos pessoais, situações enquanto “profissional” de comunicação e todas as (maravilhosas e incríveis) experiências que tenho vivido. E então surgiu o ESTA SOU EU. Claro que este blog também me ajuda praticar e aperfeiçoar os conhecimentos práticos e teóricos deste mundo do jornalismo e da comunicação..

Agora, qual é o teu maior sonho?

O meu maior sonho é conseguir ser aquilo que sempre desejei ser. Esse é um sonho que guardo sempre só para mim. Porque a vida faz-se todos os dias. Assim como os sonhos. Vão-se concretizando!

LEIA MAIS:

Entrevista: João Milheiro lança obra musical que já foi comprada na Finlândia e Espanha