Logo paivense
Logo paivense

Entrevista: Quando o emigrante Paivense não regressa à terra no Natal

São muitos os emigrantes que voltam a Castelo de Paiva, sua terra natal, para festejarem esta quadra junto dos seus, da sua família e da sua cultura. O certo é que há, também, quem desejasse muito fazer parte desse grupo de emigrantes que vai passar cá o Natal.

Rui Cândido, de 29 anos, natural da freguesia de Sobrado e Bairros, vê-se obrigado a passar o Natal longe da sua família. Será uma quadra festejada apenas junto da sua mulher, Sónia Clemente, na Suíça. Passaram-se quatro anos desde que este casal decidiu emigrar à procura de novas experiências de vida.

O jornal Paivense foi conversar com o Rui Cândido para perceber como lida com esta situação de ausência da sua família neste Natal.

Entrevista

Paivense: O Rui vai passar este Natal aí?

Rui Cândido: Sim infelizmente terei de passar aqui o Natal.

 

Paivense: Como lida com essa ausência da família e da sua terra natal nesta quadra festiva?

Rui Cândido: Nunca é fácil principalmente nesta época festiva mas graças à Internet dá para matar as saudades por vídeo chamada.

 

Paivense: Como é o vosso Natal aí na Suíça? Tentam recriar o mesmo ambiente natalício que possuíam nas vossas casas, em Castelo de Paiva?

Rui Cândido: Sim é tudo igual. Só não temos a nossa família mas desde as decorações até à comida é igual ao que tínhamos por terras de Paiva.

 

Paivense: Do que sente mais falta? E como fazes para matar saudades disso?

Rui Cândido: O que mais sinto falta é da minha família.

 

Paivense: Como foi a mudança e a primeira impressão? Gostou logo no início? E agora já mudou de opinião?

Rui Cândido: Ao início era mais uma aventura conhecer um país completamente diferente do meu, desde da cultura às diferentes língua. Inicialmente gostei mas nunca imaginei ficar até hoje. Aos poucos mudei de opinião porque é um país que é praticamente constituído por emigrantes mas os Suíços, ditos Suíços, são muito racistas infelizmente. O facto de não ser o nosso país já nos abala, pior ainda quando não somos acolhidos do jeito que todo o humano deve ser acolhido, não importa onde.

 

Paivense: O que mais gosta? O que não gosta no país?

Rui Cândido: O que mais gosto aqui é da organização do país em si. Temos regras para tudo e todos devem respeitar senão sofrem com as consequências. O que não gosto neste país é do racismo da falta de liberdade de expressão.

 

Paivense: Desde que emigrou tem ido à tua terra natal? Se sim quantas vezes?

Rui Cândido: Sim volto. Sempre que posso volto. 3 a 4 vezes em média por ano.

 

Paivense: Tem intenções de voltar a viver em Castelo de Paiva?

Rui Cândido: Claro que sim!!!