Logo paivense
Logo paivense

Estudo garante que afinal produzimos novos neurónios em adultos

Afinal, a produção de neurónios não para depois da adolescência. Esta é a conclusão de um recente estudo que prova que a neurogénese ocorre ao longo de toda a vida.

A produção de neurónios ao longo de toda a vida é um assunto que tem causado controvérsia na comunidade científica. Agora, um estudo publicado recentemente na Cell Stem Cell garante que a produção é continua durante a vida adulta.

O cérebro humano continua a produzir neurónios na idade adulta, numa parte do cérebro envolvida na aprendizagem, na memória e na emoção: o hipocampo. Além disso, os responsáveis pelo estudo afirmam que a percentagem de produção de neurónios não diminui.

Este novo estudo contraria a assim a vertente que afirma que a produção para depois da adolescência, que concluiu que a neurogénese no hipocampo humano reduz na infância e a neurogénese em adultos não acontece aparentemente.

“A parte interessante é que os neurónio estão lá por toda a vida”, afirma Maura Boldrini, da Universidade de Columbia, em Nova York, citada pelo Diário de Notícias. “Parece que, na verdade, os seres humanos são diferentes das cobaias, nas quais a produção de neurónios diminui com a idade”.

Boldrini e a sua equipa analisaram o hipocampo de 28 homens e mulheres, com idades compreendidas entre os 14 e os 79 anos, colhidos apenas algumas horas depois de terem morrido.

Ao The Guardian, a cientista disse que agora os cientistas sabem, a partir do trabalho em modelos animais, “que neurónios adultos são necessários para vários processos de aprendizagem e de memória, e há algumas evidências que sugerem que a neurogénese é interrompida em condições psiquiátricas humanas“.

Niels Haan, da Universidade de Cardiff, garante ainda que esta “é uma área promissora para possíveis tratamentos”. Estas descobertas podem vir a ser extremamente úteis no desenvolvimento de tratamentos para condições neurológicas, como a demência  o Alzheimer.

Fonte: ZAP