(h) REUTERS POOL / KHANM / EPA

O presidente da China, Xi Jinping

A Zâmbia corre o risco de perder a sua soberania devido à enorme dívida externa que tem com a China.

O país poderá ser obrigado a entregar a Pequim a propriedade das suas principais infraestruturas de transporte e energia, assim como algumas promissoras indústrias de extração, inclusive de diamantes.

Segundo a revista Africa Confidential, a atual crise no país africano deve-se à enorme dívida perante empresas e fundos chineses que não é capaz de pagar.

A rede estatal de rádio e televisão ZNBC já é detida pela China, enquanto a empresa de energia estatal ZESCO, que produz 80% da eletricidade na Zâmbia, está a caminho de se tornar propriedade de uma empresa chinesa, sublinha o RT.

Muitas das dívidas relacionam-se com projetos de construção financiados pela China. O gigante asiático obriga a Zâmbia a participar com 15% em todos os projetos, aumentando a dívida na progressão geométrica. Assim, caso as autoridades da Zâmbia não paguem os empréstimos, Pequim poderá confiscar os ativos.

Esta situação levou Reino Unido, Finlândia, Irlanda e Suécia a reter 34 milhões de dólares destinados a apoiar iniciativas da Zâmbia em educação e assistência social, temendo que esse dinheiro seja utilizado inapropriadamente, segundo informou a ministra das Finanças do país, Margaret Mwanakatwe.

A dívida externa da Zâmbia aumentou de 8,70 mil milhões de dólares no fim de 2017 para 9,37 mil milhões em junho deste ano, segundo a Reuters.

Além disso, o seu Ministério das Finanças anunciou, no fim de agosto, que a dívida pública do país atingiu os 14,6 mil milhões de dólares – 53% do PIB da Zâmbia. Segundo um analista do jornal russo Vzglyad, “na prática os chineses compraram todo o país, impondo dívidas insuportáveis. Agora, estão prontos para receber o lucro”.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

seventeen − ten =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.