Início Ciência Encontrada caverna gigante e inexplorada no Canadá

Encontrada caverna gigante e inexplorada no Canadá

COMPARTILHAR

Uma caverna enorme foi descoberta e, apesar da enorme escala da gruta, os investigadores sugerem que foi vista por humanos antes.

Apelidado de “Sarlacc Pit”, a caverna gigante – escondida no terreno acidentado do Wells Gray Provincial Park, na Colúmbia Britânica – é inacreditável, segundo os exploradores.

“A minha reação imediata foi de que era impossível haver uma caverna ali”, disse a geocientista Catherine Hickson, que realizou uma expedição ao local em setembro. “É enorme. Quando a vimos pela primeira vez, engasgámo-nos porque é um enorme buraco no chão”.

A caverna gigante foi vista pela primeira vez de helicóptero em abril, durante um voo de contagem de renas – uma descoberta que os investigadores agora descrevem como “uma caverna com significado nacional. Uma grande descoberta no oeste do Canadá”.

O que é mais notável é que este vazio gigante conseguiu escapar da deteção – um resultado aparentemente improvável para uma boca cavernosa que mede cerca de 100 metros de comprimento por 60 metros de largura.

Quem for suficientemente ousado para se aproximar do perímetro da caverna e olhar para o abismo – como o topógrafo e espeleólogo John Pollack fez durante a expedição de setembro – o verdadeiro tamanho da caverna torna-se aparente. “Estive em algumas das maiores cavernas do mundo, e esta coisa tem uma entrada que é realmente imensa, e não apenas pelos padrões canadenses”, disse Pollack.

“Quando se está parado na entrada, a olhar para baixo, a linha de visão é de quase 183 metros. Não se tem linhas de visão de 183 metros em cavernas canadenses. A escala desta caverna é enorme e a maior no Canadá“.

Catherine Hickson

De acordo com Hickson – cuja empresa financiou a expedição inicial – o local no Parque Provincial Wells Gray onde a caverna está localizada teria estado enterrada na neve durante todo o ano, talvez entre 20 e 50 anos atrás.

Por causa disso, e da sua posição extremamente remota e de difícil acesso – a investigadora supõe que, provavelmente, encontrar no início deste ano terá sido a primeira vez que os humanos puseram os olhos na caverna gigante.

Para descobrir mais sobre a caverna e a sua história, a equipa está a consultar as comunidades locais para ver se a caverna existe dentro dos registos indígenas. Parece não haver nenhuma menção em nenhum lugar que os cientistas tenham verificado – algo que faz a hipótese da cobertura de neve parecer mais uma aposta certa.

“A entrada é suficientemente notável para que a tentativa de descida tenha sido descrita por montanhistas, espeleólogos ou funcionários do parque se tivesse sido encontrada nos últimos 40 ou 50 anos”, disse Pollack. “Não existe tal relato em literatura sobre cavernas ou montanhismo”.

Os investigadores estimam que o aumento constante do derretimento de gelo – até 15 metros cúbicos de água por segundo, que percorre um dos lados da abertura da caverna – ajudou a formar a estrutura natural. Esta cascata tornou-se um rio subterrâneo que emerge a cerca de dois quilómetros de distância.

Catherine Hickson

“Mesmo hoje em dia, quando pensamos que sabemos tudo e explorámos todos os lugares, podemos-nos surpreender“, disse Hickson.

A localização exata da caverna não foi revelada, numa tentativa de ajudar a proteger o seu ambiente natural. Investigações futuras – planeadas para uma expedição maior prevista para 2020 – poderão confirmar mais detalhes sobre a caverna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

four × 5 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.