Wikimedia

Um nativo americano em Montana tem o que pode ser o mais antigo ADN nativo das Américas, de acordo com as informações da imprensa.

Depois de testar o seu ADN, Darrell “Dusty” Crawford descobriu que os seus ancestrais já estavam nas Américas há cerca de 17 mil anos, de acordo com o Great Falls Tribune, um jornal de Montana, estado dos EUA.

A empresa Cellular Research Institute Genetics rastreou 55 gerações de ancestrais de Darrell com 99% de precisão, uma façanha rara dada a forma como árvores genealógicas podem ser.

O teste também revelou as origens dos seus ancestrais Blackfeet – Nação dos Pobres Negros, também conhecida como a Tribo dos Pobres Negros da Reserva Indígena dos Pobres Negros, é uma reserva indígena e sede do povo Siksikaitsitapi nos EUA. Segundo o seu ADN, os ancestrais de Darrell são das ilhas do Pacífico. Em seguida, viajaram para a costa sul-americana e viajaram para o norte, de acordo com uma análise preliminar.

Além disso, a CRI Genetics analisou o ADN mitocondrial de Darrell, material genético que é transmitido através das mães. Uma análise mostrou que Darrell faz parte do grupo haplótipo B2 do mtDNA, que se originou no Arizona há cerca de 17 mil anos.

Este grupo é um dos quatro principais grupos nativos americanos na América do Norte. Estes grupos são rastreados até quatro antepassados ​​femininos: Ai, Ina, Chie e Sachi. Darrell parece ser um descendente de Ina. “Hoje, esta linha nativa americana é encontrada apenas nas Américas, com um forte pico de frequência na costa leste da América do Norte”, informou a CRI Genetics.

No total, 83% do ADN de Darrell coincide com os nativos americanos. O resto mostrou a sua herança diversa: cerca de 10% da Europa, cerca de 5% da Ásia Oriental, 2% do Sul da Ásia e menos de 1% da África.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

8 − three =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.