Início Economia Vendas da Huawei em queda. Boicote causa prejuízo às empresas americanas

Vendas da Huawei em queda. Boicote causa prejuízo às empresas americanas

COMPARTILHAR

B!T

Depois de os Estados Unidos terem proibido negociações com a Huawei, empresas americanas estão agora a sentir na pele as consequências da perda da firma chinesa como cliente.

Os Estados Unidos concederam 90 dias às empresas para se adaptarem às sanções impostas à Huawei. Nesse mesmo período de tempo, a empresa chinesa está em negociações com a Google para tentar encontrar uma solução às restrições norte-americanas.

No entanto, o tiro norte-americano pode ter saído pela culatra, já que com o corte de relações com a Huawei está a afetar drasticamente as ações das empresas tecnológicas dos Estados Unidos. Segundo o Jornal de Negócios, a Qualcomm caiu 4,5%, enquanto a Apple desvalorizou mais de 3%. A própria Nasdaq perdeu 1,29% e fechou o dia com 7.713,04 pontos.

Além da Google, também Intel, Broadcom, Qualcomm e Xilinx suspenderam negócios com a empresa de forma a cumprirem a ordem executiva que proíbe eventuais negócios com a Huawei. Estas empresas são responsáveis pelo fabrico de hardware para os telemóveis da marca chinesa.

Há ainda o medo que Pequim possa responder ao ataque comercial dos Estados Unidos contra a Huawei. Um importante grupo de lobby empresarial que representa empresas americanas na China disse ter “reais preocupações” sobre o assunto.

“Particularmente na sequência da decisão de colocar a Huawei na lista negra, há preocupações de que o governo da China possa decidir retaliar sobre as empresas americanas”, disse Tim Stratford, presidente da AmCham China, em declarações à BBC.

O fenómeno expandiu-se também para o Reino Unido, onde mais empresas deixarão de colaborar com Huawei. As operadores telefónicas britânicas EE e Vodafone cancelaram as vendas do novo Mate 20 X, o primeiro smartphone 5G da Huawei.

“Valorizamos as relações com os nossos parceiros, mas reconhecemos a pressão que alguns deles sofrem, como resultado de decisões politicamente motivadas. Estamos confiantes de que esta situação lamentável pode ser resolvida”, disse, em comunicado, a Huawei após as ações da EE e da Vodafone.

A fabricante de chips ARM também cancelou todos os contratos e deixará de produzir materiais para os telemóveis da empresa detida por Ren Zhengfei. A ARM justificou o corte de relações pelo facto da empresa ter escritórios nos Estados Unidos e, por isso, ter de cumprir com as regras do bloqueio norte-americano à Huawei.

De acordo com o The New York Times, também na Ásia, as empresas de telecomunicações japonesas NTT DoCoMo, KDDI e SoftBank Mobile deixaram de vender telemóveis da Huawei nas suas lojas. O boicote também será levado a cabo pela Panasonic, que suspendeu todos os negócios com a multinacional chinesa.

Os Estados Unidos ponderam também alargar a sua “lista negra” a outras empresas chinesas além da Huawei. O foco de Trump está nas empresas chinesas de videovigilância, líderes mundiais de mercado, nomeadamente a Hangzhou Hikvision Digital Technology e a Zheijang Dahua Technology.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.