Início Ciência Um terramoto fez nascer uma ilha no Paquistão. Mas o mar engoliu-a

Um terramoto fez nascer uma ilha no Paquistão. Mas o mar engoliu-a

COMPARTILHAR

Pakistan National Institute of Oceanography

Zalzala Koh – a “Montanha do Terramoto” – nasceu em setembro de 2013 durante um poderoso sismo de magnitude 7.7 na escala de Richter. O fenómeno matou mais de 800 pessoas e destruiu 21 mil casas.

A ilha foi o produto de um vulcão de lama provocado pelo terramoto. Na época, os geólogos disseram que a pequena ilha – com 20 metros de altura, 90 metros de largura e 40 metros de comprimento – não duraria muito quando confrontada com ondas e marés.

E estavam certos, de acordo com um comunicado da NASA. Durante alguns anos, o Landsat adquiriu regularmente imagens com trilhos de lama e sedimentos, descolorindo a água em redor da ilha. No final de 2016, não havia muito terreno acima da linha de água. Imagens de satélite indicavam que o mar da Arábia estava a espalhar-se pela ilha durante a maré alta.

Zalzala Koh pode estar fora de vista por agora, mas não significa que desapareceu completamente. Em 2019, pistas da ilha persistem nas imagens do Landsat. Ainda em junho de 2019, o Landsat observou trilhas de sedimentos circulando em redor da base submersa. A série de imagens acima mostra a ilha em abril e setembro de 2013, novembro de 2016 e abril de 2019.

NASA

Os vulcões de lama ao longo da costa do Paquistão são um subproduto da tectónica de placas. A placa da Arábia está a afundar para baixo da placa da Eurásia alguns centímetros por ano. O processo empurra sedimentos macios até a borda da placa eurasiana e torna-se um ingrediente-chave para os vulcões de lama.

“A rápida acumulação de sedimentos suaves e ricos em argila ao longo da borda da placa da Eurásia, combinado com as altas tensões tectónicas, causa uma acumulação aguda de pressões na água e nos gases que ficam presos dentro da rocha sedimentar. As pressões do fluido tornam-se tão grandes que os sedimentos ricos em argila enterrados no subsolo se comportam quase como um líquido”, explicou o geólogo Mark Tingay, da Universidade de Adelaide.

“Um vulcão de lama forma-se quando as pressões de fluido tornam-se suficientemente grandes para fraturar as rochas sobrepostas que estão a selar essas pressões intensas, permitindo que as lamas e gases entrem em erupção na superfície.”

Ilhas produzidas por vulcões de lama nesta região vão e vêm. Cerca de 125 quilómetros a leste, outra pequena ilha circular de lama – a ilha de Malan – emergiu a poucos quilómetros da costa e sofreu erosão duas vezes nos últimos 20 anos. A Ilha Malan é considerada uma das três ilhas do vulcão de lama que emergiram brevemente após um terremoto e um tsunami devastadores no Baluchistão em 1945.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × two =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.