Início Economia Eurovisão procura voluntários para trabalhar 18 dias seguidos sem vencimento

Eurovisão procura voluntários para trabalhar 18 dias seguidos sem vencimento

COMPARTILHAR

Jose Sena Goulao / Lusa

A procura de voluntários para o Festival Eurovisão de 2020 está a gerar polémica. A organização quer disponibilidade total durante 18 dias, não oferecendo qualquer vencimento, nem pagando despesas de viagem ou estadia.

O Festival Eurovisão 2020 será realizado em Roterdão, nos Países Baixos, nos dias 12, 14 e 16 de maio do próximo ano. Como se trata de um evento de grande escala, onde participam 41 países, é necessária uma grande estrutura de staff e trabalhadores para assegurar a sua sustentabilidade.

Como é comum em muitos festivais e eventos, a organização está à procura de voluntários dispostos a fazer o trabalho sem qualquer tipo de remuneração. As candidaturas para voluntário abriram ontem, numa nota divulgada pela NPO, no qual procuram pessoas que dominem tanto o holandês como o inglês, conheçam bem a cidade de Roterdão e os seus arredores e cubram elas próprias todos os custos de viagem e estadia.

“O Comité da Eurovisão 2020 está à procura de voluntários para servir como anfitriões das delegações estrangeiras”, lê-se na mensagem partilhada. Entre as suas tarefas está ir ao hotel buscar os membros da delegação, guiá-los pela cidade, acompanhá-los aos ensaios e ajudá-los a organizar eventos.

A organização pede total disponibilidade entre os dias 1 e 18 de maio do próximo ano, realçando que os interessados devem ser “proativos, comunicativos e práticos”. Além disso, dizem que os voluntários não deverão ter uma mentalidade de “picar o ponto”, entrando às 9h e saindo às 17h.

Em retorno, a organização da Eurovisão promete oferecer aos voluntários “uma experiência única de viver de perto o festival”, a oportunidade de “conhecer novas pessoas e fazer contactos” e ainda “uma experiência de trabalho única para o curriculum“. Os interessados têm até ao dia 15 de dezembro para enviar as candidaturas.

De acordo com o Russia Today, a oferta de trabalho tem gerado polémica nas redes sociais. Muitos utilizadores acusam a organização do festival — que conta com um orçamento milionário — de não pagar um salário aos trabalhadores. Joost van Alkemade, diretor da Associação de Voluntários nos Países Baixos, defende que a organização deve, pelo menos, reembolsar as despesas de viagens e estadia.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

8 + 3 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.