Um gestor de ativos norte-americano disse, em entrevista à CNBC, que acredita que o outro é o “verdadeiro bitcoin” – e explicou porquê.

O preço do ouro, “investimento-refúgio” racional para investidores em tempos de crise financeira, atingiu esta semana os 1.800 dólares a onça, o valor mais alto em nove anos, e muitos analistas dizem que este é apenas o início da tendência em alta do metal.

“Acredito que o ouro é o verdadeiro bitcoin“, começou por dizer à emissora norte-americana Boris Schlossberg, diretor de estratégia de câmbio da BK Asset Management.

O mercado “está a aceitar apostas implícitas de que a inflação está a crescer novamente”, explicou, antes de dizer que “existem boas razões” para o mercado pensar desta forma.

Os estímulos dos bancos centrais que alimentam a expansão fiscal vão prejudicar a economia e impulsionar a inflação, previu. “Os bancos centrais manterão as taxas de juro num nível muito baixo, porque a sua primeira prioridade agora no mundo pós-covid é manter o ritmo e continuar a expandir o máximo possível”.

“Os bancos centrais vão suprimir as taxas de juro e a inflação ficará um pouco mais alta e, é claro, não há nada que o ouro ame mais do que taxas de juro reais a baixar mais e mais”, disse ainda aos microfones da CNBC.

O especialista disse ainda que se está a criar um ambiente favorável para que o ouro teste o seu máximo histórico, de 1.920,3 dólares a onça, alcançado em meados de 2011.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

three + 11 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.