Os pequenos reatores nucleares nasceram com um objetivo definido: tentar impulsionar a popularização da energia nuclear.

Dividir uma instalação deste tipo em pequenas versões que, quando conjugadas, possam ter a mesma capacidade de um grande reator nuclear é uma grande vantagem, já que dispensa a necessidade de construir um complexo gigante para o acomodar.

A empresa NuScale decidiu pôr este plano em prática e criou um pequeno reator nuclear modular, que recebeu recentemente uma certificação de projeto da Comissão Reguladora Nuclear dos Estados Unidos, o que significa que este reator atende aos requisitos de segurança necessários.

O reator não é assim tão pequeno: é um cilindro de aço com 23 metros de altura e cinco metros de largura, capaz de produzir 50 megawatts de eletricidade. Os planos da empresa passam por implementar 12 reatores deste tipo numa central nuclear.

Segundo o Ars Technica, este projeto utiliza barras de urânio para aquecer água num circuito interno pressurizado. A água transfere a sua alta temperatura para um circuito de vapor externo através de uma serpentina e, dentro da central, o produto resultante seria transportado para uma turbina geradora que, depois de um processo de arrefecimento, retornava aos reatores.

O novo reator conta ainda com um sistema de arrefecimento passivo, de forma a que nenhuma bomba ou peça móvel seja necessária para manter o reator a operar com segurança.

O design modular pequeno tem uma enorme vantagem – cada unidade retém uma quantidade mais pequena de combustível radioativo e, consequentemente, uma quantidade inferior de calor, que pode ser uma mais-valia em situações problemáticas.

Depois da aprovação, a empresa quer agora implementar os primeiros reatores em “meados da década de 2020”.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

three − 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.