Antes da abertura da sessão desta quinta-feira, dedicada ao debate quinzenal com o primeiro-ministro, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, destacou a cordialidade de Montenegro e desejou-lhe os maiores sucessos a “nível pessoal, profissional e político”.

“É muito jovem, sei que vai continuar a intervir no espaço público e isso só enriquece [o debate]”, afirmou Ferro Rodrigues, que destacou as relações entre os dois: “Além de adversários leais, ficámos bons amigos.”

Na ronda de intervenções, apenas falou o próprio Luís Montenegro, a agradecer as palavras de ferro e a fazer um aviso para os perigos do populismo, e o líder parlamentar do CDS, Nuno Magalhães. Fernando Negrão, líder parlamentar do PSD, apenas falou sobre Montenegro na abertura do debate quinzenal.

No seu discurso, após 16 anos de mandato em São Bento, Luís Montenegro disse acreditar que não deixou qualquer inimizade nas restantes bancadas, pediu aos deputados que “continuassem a dignificar” o trabalho parlamentar e deixou um aviso quanto aos riscos do populismo.

“O populismo é o pai da mediocridade e a mediocridade é a mãe da pobreza. O que desejo é que o parlamento procure a excelência e encontre a criação da riqueza”, disse.

Na hora dos aplausos, as bancadas do PSD e do CDS aplaudiram de pé, ouviram algumas palmas no grupo parlamentar do PS. Os deputados do PCP, BE e PEV ficaram sentados, sem aplaudir.

Lusa

Fonte: SIC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

two × 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.