Início Ciência Macacos pretos da Costa Rica estão a tornar-se amarelos

Macacos pretos da Costa Rica estão a tornar-se amarelos

COMPARTILHAR

Exceto alguns pelos laranja, o Alouatta palliata é predominantemente coberto de pelo preto. Todos estes macacos das florestas da América Central e do norte da América do Sul são pretos. Mas, na Costa Rica, algo estranho está a acontecer.

Nos últimos cinco anos, estes macacos começaram a ter pelo amarelo. No início, era apenas uma ou duas manchas de amarelo nos membros e na cauda. Mas com o tempo, os curiosos exemplos começaram a acumular-se.

Os cientistas já relataram pelo menos 21 macacos com pelo amarelo, a viver em estado selvagem ao longo da costa da Costa Rica. As manchas de pelo amarelo parecem estar a crescer, não apenas em número, mas também em tamanho. Em alguns macacos, a pigmentação amarelada até supera o preto.

De facto, os investigadores relataram, no estudo publicado na revista Mammalian Biology, pelo menos dois macacos selvagens totalmente cobertos de pelo amarelo, sem nenhuma coloração negra.

As rápidas mudanças já andam a confundir os cientistas há anos e uma inspeção cuidadosa do pelo do macaco sugere que os pesticidas podem ser os culpados. Analisando a pele destas anomalias, os biólogoa descobriram uma diferença no tipo de melanina produzida.

A melanina é o pigmento que dá cor ao pelo e à pele. Diferentes formas de melanina podem criar uma variedade de cores. Na maioria dos macacos, o pigmento produz pelo preto, cinzento ou castanho escuro. Mas, por algum motivo, em alguns macacos, a melanina muda, produzindo tons amarelo, vermelho ou laranja.

“Estas observações representam casos totalmente anómalos de pigmentação, uma vez que estes nunca foram relatados em cativeiro ou na natureza“, concluem os autores. “Não estamos cientes de alterações semelhantes na pigmentação noutros primatas ou outros grupos de mamíferos”.

Isto marca a primeira vez que os cientistas notaram uma mudança tão rápida na pigmentação da pele de primata, ou qualquer outro mamífero. Embora ainda não seja claro a razão exata, os pesticidas são suspeitos de serem os principais culpados.

Acontece que o pigmento responsável pela pele amarela do macaco contém enxofre, e o enxofre forma a base da maioria dos pesticidas usados ​​no mundo.

Os investigadores propõem que, à medida que estes macacos são expostos a mais pesticidas, a abundância de enxofre atrapalha o pigmento das peles, alterando a estrutura da melanina e, portanto, a sua cor.

Na Costa Rica, quintas de abacaxi, banana e óleo de palma africana começaram recentemente a usar um maior número de pesticidas que contém enxofre. A maioria dos animais com cores incomuns vêm das florestas que cercam estas quintas. Na verdade, a Costa Rica tem um dos maiores usos de pesticidas no mundo, com uma média de mais de 25 quilos aplicados por hectare de terra cultivada.

Os macacos podem ser as mais recentes vítimas destes produtos químicos, umas vez que se alimentam principalmente de folhas de árvores. Como tal, provavelmente consomem uma quantidade significativa de pesticidas, que poderá influenciar a melanina resultante.

O pelo amarelo brilhante pode parecer inofensivo, mas a mudança de cores pode tornar os macacos mais vulneráveis ​​ao ataque de jaguares e outros predadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

two × five =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.