Visita à escola de Ílhavo

Os deputados do PSD eleitos por Aveiro entregaram na Assembleia da República um projeto de resolução exigindo do governo a concretização da reabilitação da Escola Secundária Dr. Celestino Gomes, de Ílhavo. Para os parlamentares social democratas, as “condições manifestamente inaceitáveis” do edifício põem em causa a qualidade do ensino, para além de colocarem questões de segurança muito pertinentes.

Além do projeto de resolução, os deputados do PSD dirigiram uma pergunta ao Ministério da Educação, questionando se a tutela tem conhecimento do estado de degradação do edifício e das consequências que daí possam advir em termos de segurança e se está em condições de garantir a concretização da obra de beneficiação. As iniciativas parlamentares surgem como resultado de uma visita à escola, há duas semanas, na qual foi possível constatar as deficientes condições proporcionadas à comunidade educativa.

“É indubitável que a qualidade das instalações é importante na qualidade do ensino, porquanto garante o conforto e ajuda na motivação indispensáveis ao bom rendimento dos alunos. Um projeto educativo bem delineado deve ser acompanhado por boas condições físicas disponibilizadas às comunidades educativas” – pode ler-se nos textos que suportam a pergunta e o projeto de resolução.

Os deputados aveirenses do PSD citam um relatório de vistoria de segurança da Câmara Municipal, do qual podem extrair-se três situações “mais preocupantes”: “cedência das lajes em consola e lanços de escada (zonas de circulação) no piso 1 e 2 do bloco b; na reparação/substituição das estruturas de suporte de telheiros nos percursos exteriores cobertos”; reparação da cobertura do bloco B face às infiltrações detetadas”.

O edifício da “secundária” da sede do concelho de Ílhavo foi construído na década 60 e reformulado nos anos 80, “de acordo com parâmetros de construção que hoje se encontram obsoletos, como é o caso da cobertura em fibrocimento, caixilharia em alumínio com vidro simples, mau isolamento térmico, ausência de sistemas de aquecimento, iluminação pouco eficiente, deficiências graves nos sistemas elétricos, rede de águas e sistemas de esgotos, telhado permeável à chuva, entre outras e que entretanto não sofreu obras de beneficiação”.

“O estado de degradação do edifício tem, indubitavelmente, claras repercussões no rendimento e frequência escolar dos alunos, fenómeno traduzido na deslocalização significativa de estudantes para Aveiro, com toda as consequências que daí advêm” – vincam os deputados do PSD, enfatizando que em abril de 2017 o ministro da Educação foi alertado para a situação, e em junho desse ano a secretária de Estado prometeu uma intervenção para 2018, prevendo, ainda, para 2017, a mudança das caixilharias (janelas) e da cobertura de fibrocimento.

No projeto de resolução agora entregue, os deputados do PSD propõem a concretização da reabilitação da escola, cumprindo projeto aprovado em 2017, atendendo ao estado avançado de degradação, que põe em causa a segurança da comunidade educativa, e que o governo “proceda, de imediato, a uma intervenção que ponha cobro aos problemas de segurança mais prementes”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

12 + 19 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.