É ainda pouco compreendida, apesar de afetar milhões em todo o mundo. Por cá, a prevalência da depressão torna Portugal o segundo país da Europa com mais casos de doenças mentais, com valores que, em 2017, chegavam aos 9,8%. Contas feitas, no fim desse ano havia quase um milhão de portugueses com diagnóstico de depressão nos cuidados de saúde primários e mais de 650 mil com diagnóstico de ansiedade. Hoje, dos 400 mil portugueses que sofrem de depressão por ano, um terço não recebe qualquer tipo de ajuda ou tratamento.

Numa das suas reflexões sobre a depressão, o filósofo e investigador Fabiano de Abreu define a importância de se perceber verdadeiramente do que se trata esta doença, como forma de evitar um pré-julgamento errado.

“Este é o tipo de sentimento que só sabe realmente os seus sintomas quem tem ou teve, pois é tão grave e pode ser tão intenso que pode levar a morte. Em busca dos holofotes, há quem diga que depressão é coisa da cabeça. No entanto, isso é uma grande fake news de julgadores que, a meu ver, são pessoas que não se compreendem nem a si mesmos e não têm a possibilidade, profissional e intelectual, de compreender o que realmente é a depressão, e logo julgam de forma ansiosa e precipitada a questão.”

De onde vem a depressão

Para o filósofo, a depressão surge na sequência de uma acumulação de problemas não resolvidos. Por isso, “devemos tentar combater a solidão resolvendo os pormenores que no seu somatório pode chegar à depressão”.

É que, “quando esta chega, dependendo da gravidade, somente através de tratamento com profissionais da área médica é possível superá-la, podendo tornar-se algo fora de controlo quando se está impregnada na nossa mente”.

“A depressão é a acumulação de tristezas que podem ser ocasionadas por uma tristeza inicial não resolvida que se potencia, e ao potenciar-se, projeta nas nossas demais tristezas também uma potência, além de criar mais tristezas, multiplicando-se, como um cancro que se espalha. E assim todos estes sentimentos e tristezas potenciadas formam a depressão.”

Dicas para melhorar a sua vida

Combater a depressão não tem de ser um fardo. Por isso, Fabiano de Abreu deixa 10 conselhos, aparentemente muito simples, que podem ser eficazes na prevenção e combate deste problema de saúde.

Primeiro, há que ver o lado positivo em tudo. “Tudo na vida tem um lado positivo. Todos os acontecimentos ruins têm um lado positivo, que agora ou lá na frente descobriremos. Basta um pouco de criatividade para encontrá-lo e assim encontrar o alívio necessário para não sofrer.”

O especialista aconselha ainda a resolver a sua tristeza “para que ela não se potencie e assim potencie as demais tristezas acumuladas dentro de si, de modo que se transforme numa depressão”. E a resolver os seus problemas. “Não os protele. Os nossos problemas existem para serem resolvidos.”

Tudo na vida passa. “Não tome medidas impulsivas, já que tudo se transforma, se modifica.” E, mais do que isso, “o passado já passou. Não se prenda ao passado. Viva o melhor presente para que no futuro tenha as melhores recordações.”

Fabiano de Abreu aconselha a que se faça um auto-reconhecimento “para saber lidar melhor com todo o universo que o faz ser o melhor de si”, assim como um desabafo “com pessoas da sua confiança. A opinião do outro pode ajudar ou causar alívio”.

Ocupe o seu tempo “para cumprir as suas metas: sejam elas profissionais ou para o bem-estar físico” e aja agora. Ou seja, “não deixe para amanhã o que podes fazer hoje, ou o marasmo e a falta de acontecimentos e resultados poderão resultar em depressão”.

Finalmente, transforme sentimentos e emoções. “Use a ansiedade para ocupar o seu tempo com coisas úteis. Use a sua ira para transformá-la em criatividade, para assim obter novas conquistas. Deste modo, não terá tempo de pensar nas coisas ruins da vida e terá mais momentos felizes e de plenitude.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

twenty − 19 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.