Logo paivense
Logo paivense

Nova espécie de cobra venenosa foi descoberta por acaso na Austrália

(dr) Bryan Fry / Universidade de Queensland

O mais recente membro da família das serpentes “bandy-bandy”, da espécie Vermicella Parscauda

Uma nova espécie de cobra extremamente venenosa foi descoberta em Queensland, na Austrália. Porém, os cientistas estão preocupados que este réptil esteja em perigo de extinção.

O mais recente membro da família das serpentes “bandy-bandy”, da espécie Vermicella Parscauda, foi encontrado por Bryan Fry, da Universidade de Queensland, na Austrália, e pelo resto da sua equipa, na cidade de Weipa, perto de umas minas de extração de bauxita, uma mistura natural de óxidos de alumínio que já foi considerada um mineral.

Em declarações ao Daily Mail, o biólogo conta que o réptil foi encontrado num bloco de cimento. “Esta cobra é escavadora, portanto, ficámos surpreendidos por encontrá-la neste local perto do mar”, acrescentando que a equipa estava à procura de cobras marinhas.

“Depois de analisar esta ‘bandy-bandy’ percebemos que se trata de uma nova espécie, visualmente e geneticamente distinta de todas as já encontradas no litoral leste da Austrália e no interior do país”, explica o investigador.

A “bandy-bandy” é uma cobra noturna, subterrânea, de cor negra com anéis brancos e que geralmente se esconde debaixo das rochas e troncos e vive exclusivamente na Austrália. Além disso, é extremamente venenosa.

Um conhecido caçador de cobras de Queensland, Brydie Maro, assegurou ao jornal britânico que o encontro com uma “bandy-bandy” pode ser fatal, comparando a toxicidade do seu veneno com a da cobra negra de barriga vermelha.

Até ao momento, só foram encontrados seis espécimes da cobra recentemente descoberta. Fry acredita que o réptil viva na área das minas e é exatamente isso que pode estar a colocar a espécie em perigo de extinção devido à extração excessiva de bauxita.

A espécie encontrada “é muito singular comparativamente com todas as outras ‘bandy-bandys’ e reforça o pouco que realmente sabemos sobre a nossa biodiversidade e o muito que podemos estar a perder devido à atividade económica a curto prazo”, destacou.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=jaIiT-f6YR8?feature=oembed&w=700&h=394]