Logo paivense
Logo paivense

Novo medicamento permite perder peso sem causar problemas ao coração

SXC

Um novo medicamento pode vir a revolucionar os tratamento para a perda de peso, isto porque provou não aumentar o risco de problemas cardíacos.

Uma equipa de investigadores norte-americanos pode ter descoberto uma solução ansiada por milhões de pessoas: um medicamento revolucionário que permite perder peso sem causar problemas ao coração.

A lorcaserina é a primeira droga antiobesidade, com utilização a longo prazo, a ser considerada segura para a saúde do coração, avança o Diário de Notícias. A investigação, publicada recentemente no New England Journal of Medicine, refere que o medicamento inibe o apetite fazendo com que o cérebro obtenha uma sensação de saciedade com apenas duas doses diárias.

Mas a perda de peso não é o único fator que entusiasma os cientistas. Este medicamento é considerado sagrado por não aumentar o risco de problemas cardíacos. Visto que atua sobre a serotonina no hipotálamo, não causa danos na serotonina presente no coração.

O estudo envolver 12 mil adultos obesos ou com excesso de peso e durou cerca de três anos e meio. Ao longo deste período, os cientistas prescreveram duas doses de 10 mg de Lorcaserin por dia a uma parte do grupo, enquanto à outra foram dados placebos.

Os que tomaram Lorcaserin perderam, em média, quatro quilos em 40 mesas, taxas que foram alcançadas sem um aumento no risco de problemas cardiovasculares, como pressão arterial, frequência cardíaca e glicemia.

Assim, ao fim de um ano, 38,7% dos pacientes sujeitos à medicação tinham perdido pelo menos 5% do seu peso, em comparação com apenas 17,4% no grupo dos placebos. Desses 39%, 8,5% desenvolveram níveis de diabetes.

Perceber que esta substância não causa danos ao coração foi o mais importante para os investigadores, que o consideram “o santo graal da medicina para a perda de peso”.

Apesar de ainda não ter sido aprovada na Europa, esta medicação está disponível desde 2013 nos Estados Unidos sob o nome Belviq, e custa entre 220 e 290 dólares, entre aproximadamente 189 e 249 euros, por mês.